Geral
Gabriel Abreu

Gabriel Abreu

Acham que nos pegam? Temos essa resposta também. \o/

A história da vida no mundo parece ser muito simples: nascer > perpetuar a espécie > morrer. Ou seja: o sentido da vida é fazer vida, é ter filhos. Mas e os estéreis? E os homossexuais? E os que simplesmente não sentem vontade de terem filhos? Quer dizer que eles não têm um sentido na vida? Quem julga assim é por falta de conhecimento. Sejamos interessantes:

O cérebro de todo animal trabalha basicamente com um sistema de recompensas: vc faz algumas coisas para se sentir bem. Essa sensação é provocada pelos neurônios que ficam em determinadas regiões, como o septo, bem no meio do cérebro. Eles soltam um hormônio chamado dopamina, que nos provoca a sensação de prazer. Quanto mais prazer é sentido, mais dopamina é liberada. Desde um chocolate até... sim, isso que você está pensando. E essa sensação vicia. Quanto mais prazer sentimos, mais queremos sentir.

O cérebro é programado a nos guiar a fazer coisas que que liberem dopamina. Esse é o norte dele. Durante toda a nossa vida, estamos atrás dessa sensação - este é o motivo de existirmos. O sentido da vida, portanto, não está só no final dela, mas sim durante todo seu percurso. Ler um bom livro, abraçar um amigo, pegar uma praia, mandar perguntas para o PQ. Se a idéia de criar uma criança te irrita, então é porque vc não é programado para soltar dopamina com esse estímulo. Então, não é esse o sentido da sua vida. Pronto. Não somos todos iguais.

Resumindo, o sentido da vida é simples assim: ser feliz. :)