Geral
Anônimo

Anônimo

Por conta da inclinação do globo. Como sabemos, o globo terrestre nem é 100% esférico (é levemente achatado) e tem o eixo inclinado (atualmente a inclinação é de 23,45 graus). Essa inclinação faz com que a incidência do sol não seja uniforme na superficie do planeta durante o ano todo. Como resultado disso temos as estações do ano e o chamado Sol-da-meia-noite, que é exatamente quando o circulo polar ártico ou antártico (em alguns meses do verão) fica mais apontado para o Sol, chegando a receber até 24 horas ininterruptas de luz. 

Vale lembrar que, enquanto isso, o outro pólo está na escuridão. Na região da Lapônia Central, o sol fica 51 dias sem aparecer. Haja vela.

Geral
Aline Vieira

Aline Vieira

A resposta está em como os raios solares interagem com a atmosfera. Quando a luz passa através de um prisma, o espectro é quebrado num arco-íris de cores. Nossa atmosfera faz o mesmo papel, atuando como uma espécie de prisma onde os raios solares colidem com as moléculas e são responsáveis pela dispersão do azul. 

Geral
Anônimo

Anônimo

É um fenômeno que acontece em regiões próximas aos polos da Terra, como na Noruega, Finlândia, Dinamarca, Suécia e claro, nos Pólos Norte e Sul. 

Sol da meia-noite observado de Nordkapp, Noruega.


O evento ocorre no verão, quando, devido à inclinação rotacional da Terra, os raios do sol nunca deixam de brilhar na região. 

Imagem: Edukabr

Na Antártida  por exemplo, o sol não se põe durante seis meses e essa é a época mais segura para quem quer visitar o lugar. Além de ser menos congelante, o sol constante faz com que todos os vampiros da região migrem para outros locais, ou fiquem o tempo todo enfurnados em seus caixões.

Foto tirada na Antártida às 00:58h por Solly Boussidan - nenhum vampiro.

Colaborou Andrea Vaz
Encontre o vídeo oculto no post e veja o que acontece com um vampiro de verdade quando é exposto ao sol. Encontre também outro link oculto e saiba a origem da lenda(???) dos vampiros.

Geral
Anônimo

Anônimo

Pq a onda de cor vermelha é a que vai mais longe. Como já explicamos neste post, a luz branca é composta por varias outras ondas de cor, com uma frequência própria. A luz do sol é branca e durante o dia, quando a distância entre nós e o astro-rei é menor. Daí que a luz azul (que tem uma frequência muito próxima dos átomos dos gases que ficam na atmosfera) fica refletindo neles enquanto a vermelha passa reto. É por isso que vemos o céu azul. Quanto mais tarde fica, maior a distância entre nós e o sol, e leva o azul junto com ele. Então é a vez das ondas que vão mais longe (amarelo, vermelho e laranja) chegarem aos nossos olhos e comporem essas imagens tão lindas que dá vontade de escrever um poema.

No espaço, por exemplo, vê-se o céu preto pq não há atmosfera e, portanto, nenhum gás para refletir onda de cor nenhuma. 


Encontre os poemas escondidos.

Geral
Anônimo

Anônimo

Por culpa da Fitofotomelanose. Sem neura, essa palavra grande aí é o nome dessas manchas escuras que aparecem na nossa pele quando nos expomos ao sol com resquícios de limão pelo corpo. Pode chamá-la também de Mancha de Limão, como é popularmente conhecida.

O sumo ácido da fruta em contato com os Raios Ultra Violetas causam uma reação química e alérgica na pele, bem próximo de uma queimadura. A inflamação é provocada pela reação de compostos chamados furocumarínicos, que estão na polpa da fruta, e na presença do sol gera uma irritação, aumentando a pigmentação na região afetada. E é melhor abrir o olho, outras frutas cítricas como a laranja e a tangerina, ou o figo não maduro, também podem conter essa mesma substância que causa a Fitofotomelanose. Ou seja, nossa dica é, sempre que tiver contato com essas frutas e for se expor ao sol, lave bem a mão, a boca e os braços para não deixar nenhum resíduo que posse te fazer mal.

Se queimou? Use protetor solar na região afetada sempre que for ao sol, evitando que a queimadura sofra mais ainda com os raios solares.

Dois meses é o tempo que as manchas podem demorar para sumir, isso porque elas só saem com a escamação natural da pele.

30 minutos é o tempo que essa reação química vai demorar para aparecer no seu corpo logo após o resíduo do limão receber os raios do sol.

Geral
Anderson Bruno

Anderson Bruno

Ele não é amarelo, é branco. Para ser mais exato, a cor do astro rei na tabela hexadecimal de cores é a #fff5f2.


A confusão acontece porque a atmosfera da Terra filtra a luz do sol e separa as cores, fazendo com que determinados espectros que formam a luz solar não cheguem até nós. Assim, os raios azuis e violeta são espalhados e só as outras cores chegam aos nossos olhos.

São esses tons restantes é que dão a ilusão de que o sol tem um tom amarelado. Mas visto do espaço, ele é #fff5f2. ;-)
Se vc encontrar os links ocultos no post, não conte a ninguém, apenas cante nos comentários... ou diga o nome da cor frágil, feia e aflita.

Geral
Matias Maldaner Hahn

Matias Maldaner Hahn

Uma catástrofe! De imediato sentiríamos o solavanco gerado pela parada brusca do planeta (que gira a 900km/h). Nossos corpos seriam arremessados, prédios cederiam e placas tectônicas voariam para todos os lados. A longo prazo, a Linha do Equador secaria, porque a água se concentraria onde a gravidade fosse mais forte - nos polos.

Uma parte do planeta ficaria sempre voltada para o Sol num calorão infernal, enquanto a outra numa escuridão e frio profundos. Isso pq os dias e noites não seriam mais controlados pelo movimento de rotação da Terra (o que faz o planeta girar sobre seu próprio eixo), mas sim pelo da translação (movimentação orbital, em torno do Sol). Os dias e noites teriam cerca de 6 meses cada, de forma parecida com o que atualmente ocorre nos polos.

Isso afetaria todo o ecossistema da terra. Plantas do lado escuro morreriam pq não há fotossíntese sem sol. As do lado claro morreriam com o excesso de calor do sol. Sem plantas, animais e pessoas morreriam de inanição. 

Mas de acordo com a NASA, os ecossistemas polares não seriam afetados (exceto pelas avalanches causadas pela freada). Mas isso não garantiria a sobrevivência da nossa espécie. Se os outros possíveis sobreviventes tentassem fugir para os polos, os ecossistemas seriam desequilibrados causando o fim da raça humana.

Colaborou Matheus Gonçalves

Geral
Matheus Nazario Pedroso

Matheus Nazario Pedroso

Simplesmente porque os raios do Sol ainda a iluminam. Ao contrário do que muitos pensam, a Lua não está sempre do lado oposto do sol, protegida pela Terra. Vejam o eclipse, por exemplo, que é exatamente quando ambos se encontram. A propósito, é mais comum vê-la de dia quando está nas fases minguante (fica visível de manhã) e crescente (fica visível de tarde).

Geral
Leo Bueno

Leo Bueno

Muito quente, porém congelante. Confuso, né? Calma, a gente explica. Dos planetas conhecidos, Mercúrio é o que tem a maior amplitude térmica do sistema solar - durante o dia chega a atingir 430ºC e durante a noite a temperatura cai para aproximadamente -180ºC. Oi, choque térmico.

Geral
Anônimo

Anônimo

De frio ou de calor, iríamos todos morrer.


Uma das maneiras aceitáveis para que um planeta saia de sua órbita é sofrendo uma forte – e forte mesmo – colisão de algum outro objeto.

Como a Terra tem uma massa enorme, para que o objeto fosse capaz de tirá-la do caminho ele precisaria ter, no mínimo, o tamanho de Vênus.

E, neste caso, a Terra seria totalmente esmagada e destruída na hora, provavelmente acabando com a vida e tudo que há no nosso planetinha azul em alguns segundos.

Mas se, por alguma força do acaso, a Terra fosse capaz de resistir ao impacto, iria sofrer muito com a distância do Sol. A vida na Terra depende do calor, da luz e da energia do sol para sobreviver. Distante desta estrela tão importante, o planeta poderia congelar e perder todos os seus recursos naturais. Ou seja, se o fim não viesse no exato momento da colisão, viria mais tarde de qualquer forma em um inverno sem fim.

Outra forma da Terra se libertar de sua órbita e sair passeando pelo universo seria se o Sol de repente perdesse sua massa de forma muito abrupta, transformando-se em uma nova solar, diferente de uma supernova. Isso é muito improvável, mas digamos que isso aconteça. A Terra não iria conseguir aguentar por muito tempo também porque os raios solares iriam superaquecer os oceanos, queimar tudo que estivesse pela frente e acabar com tudo em alguns segundos.

Em um cenário ainda mais impossível, imagine que o Sol perdeu massa tão rápido que não teve tempo de liberar seus raios superquentes e a Terra conseguiu escapar da órbita antes de ser torrada. A vida até poderia aguentar por um tempo, mas iria ter o mesmo triste fim gelado que falamos antes.

Tudo é muito assustador, mas a probabilidade de isso acontecer é praticamente nula. Eu disse: "praticamente".

--

Você tem mais alguma dúvida? Faça sua pergunta clicando AQUI
Você também pode votar em nossa lista de perguntas não respondidas clicando AQUI