Instagram

Já reparou que dezembro é um mês cheio de coisas estressantes?

O trabalho a mil por hora e você querendo desacelerar nas folgas do período de festas, contas e mais contas para pagar, estradas abarrotadas de carros, shoppings dando na tampa de tanta gente, aeroportos congestionados... ufa!

Sim, o fim de ano é realmente estressante e segundo pesquisa da International Stress Management Association do Brasil (ISLA-BR) sobre o aumento de ansiedade, irritação e tensão nas pessoas no último mês do ano, foi comprovado que em dezembro o nível de estresse aumenta, em média, 75% em relação aos outros períodos.

A associação que pesquisa o estresse e suas formas de prevenção ouviu 700 pessoas economicamente ativas, com idade entre 25 e 55 anos. 60% dos entrevistados revelou que o excesso de tarefas no trabalho é a principal causa de estresse. 25% atribuíram aos gastos adicionais.

“As causas disso passam pela sobrecarga de trabalho, trânsito, solidão e gastos”, explica Ana Maria Rossi, presidente da instituição.

E mais, excesso de comida e bebida alcoólica, gastos além da conta, estresse, depressão e a obrigação de parecer feliz no fim de ano podem causar problemas de saúde, a combinação pode ser fatal. Quem já tem hipertensão, arritmia ou depressão, por exemplo, corre mais risco de sofrer um derrame ou ataque cardíaco como consequência do que os americanos chamam de "holiday heart syndrome" (síndrome de fim de ano), segundo Elias Knobel, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

Nos prontos-socorros, há aumento dos casos relacionados a ansiedade e depressão, segundo Daniel Magnoni, diretor de nutrição do Hospital do Coração. No CVV (Centro de Valorização da Vida), o número de ligações sobe 20% na época.

Fonte