Geral
A Ciência comprova: beber cerveja faz bem para a saúde

Procurando justificar para a sua mulher porque você bebe? Você pode estar com sorte; Um estudo publicado no American Journal of the Modern Sciences chegou à conclusão de que a cerveja realmente tem mais benefícios para a saúde do que poderíamos pensar.

O South Morning China Post resumiu as descobertas: o néctar líquido é cheio de antioxidantes e contém mais proteínas e vitaminas do complexo B do que o vinho, que muitas vezes é considerado a bebida alcoólica mais "benéfica".

A cerveja pode até reduzir o risco de doenças cardiovasculares - desde que você não exagere, é claro. O estudo foca no "consumo moderado", o que significa que uma ou duas cervejas podem ser boas, mas uma dúzia é mais complicado de justificar.

Ainda assim, os pesquisadores aconselham que os médicos relaxem sua visão sobre o consumo de bebida alcoólica: os médicos devem estar cientes das crescentes evidências que apoiam os benefícios nutricionais e de saúde do consumo moderado de álcool como estilo de vida saudável.

Esta não é a primeira pesquisa mostrando que a cerveja melhora a saúde: estudos anteriores argumentaram que o consumo moderado de cerveja pode aumentar sua criatividade, reduzir o risco de diabetes e até mesmo hidratar você mais eficientemente do que a água.

Nem todos os resultados foram surpreendentes - pesquisadores espanhóis descobriram que o consumo de cerveja fazia os participantes se sentirem mais engraçados, mais atraentes e mais inteligentes. Como não amar essas pesquisas?

Fonte

Instagram

Você solta muitos palavrões quando mete o pé na quina de um móvel? Segundo pesquisa da Universidade de Keele, no Reino Unido, soltar um sonoro palavrão realmente alivia a dor.

De acordo com a pesquisa, pequenas doses de palavrões ajudam as pessoas a controlar suas emoções e a administrar a dor. O estudo foi composto por uma série de experimentos.

Em um dos experimentos, o psicólogo Richard Stephens fez com que os participantes convidados mergulhassem uma das mãos na água gelada e ficassem com ela lá o quanto pudessem suportar. Metade dos convidados poderia falar palavrões, outra metade não.

Como resulto, os xingadores foram capazes de manter a mão na água gelada por mais tempo (44 segundos a mais para os homens e 37 segundos a mais para as mulheres) e relataram sentir menos dor do que aqueles que não xingaram.

Não evite os palavrões, mas não saia falando gratuitamente. :)

Fonte

Instagram

Estudo realizado pelo Imperial College London com 140 voluntários para analisar os efeitos causados pela poluição sonora durante o sono, com objetivo de descobrir como o barulho dos aviões afeta quem mora perto de um aeroporto, mostrou que até mesmo o ruído de um ronco pode ser bastante nocivo à saúde de quem dorme ao lado.

Diversos fatores foram estudados como, por exemplo, a pressão arterial. O especialista Lars Jarup, um dos autores do estudo, relata que o ruído noturno pode afetar instantaneamente a pressão sanguínea e aumentar o risco de hipertensão.

Os efeitos prejudiciais do barulho não estão na origem do som, mas no nível de decibéis, que é a intensidade. Os cientistas indicaram por meio do estudo, que os efeitos começaram a ser sentidos após 35 decibéis, um nível similar ao de um avião no ar, tráfego de carros ou um parceiro roncando na cama.

Um estudo realizado anteriormente indicou que as pessoas que viveram perto de aeroportos e conviviam com sons de mais de 10 decibéis por cerca de 5 anos, tiveram um risco 14% maior de pressão arterial.

Fonte

Geral
Anônimo

Anônimo

Mais um mito desvendado por nós, caçadores de mitos!

Parem de colocar o leite como um criminoso! Vocês não sabem pelo que ele passou!!!

Diga para a sua avó na linguagem dela; É Balela! A manga também já foi vítima dessa mentira e já esclarecemos que não tem problema nenhum. Assim como as demais frutas, a melancia também é uma fonte de potássio, ferro, cálcio e Vitamina C. A melancia é ainda ótima para a prevenção ao câncer, à pressão alta e um ótimo antioxidante natural. Juntamente com as proteínas do leite, pode ser uma ótima fonte de energia. Se por um acaso você sentir mal estar na ingestão de algum destes alimentos, consulte um médico, você pode ser alérgico a eles!

Instagram

Sexo é benéfico para a saúde, pesquisas apontam que a pratica pode se relacionar ao bom humor e a uma melhor qualidade de vida. Agora, um estudo feito pela mostrou que a receita para uma vida mais longa é fazer sexo, ou seja, quanto mais transarmos, mais tempo teremos de vida.

Na primeira fase do estudo, 918 homens residentes da aldeia galesa, Caerphilly, com 45 a 59 anos de idade foram entrevistados por pesquisadores ingleses sobre seus hábitos sexuais. Uma década depois, estes mesmos homens responderam a uma série de perguntas sobre a frequência em que transavam.

Os pesquisadores concluíram que, homens que faziam sexo ao menos duas vezes por semana reduziram suas taxas de mortalidade pela metade.

A segunda fase do estudo contou com a participação de 129 mulheres com idades entre 20 e 50 anos. Elas responderam perguntas sobre suas vidas amorosas e o quanto elas estavam satisfeitas.

Após análise biológica, os cientistas descobriram que as mulheres que faziam mais sexo e tinham uma vida amorosa satisfatória, apresentavam maiores telômeros, uma espécie de "capa" que protege os cromossomos, fazendo com que tenhamos um aumento em nossa expectativa de vida.

Por que o sexo prolongaria a vida? Existem múltiplas explicações possíveis segundo os cientistas: sexo frequente significa um relacionamento íntimo. Muitos estudos mostram que laços pessoais próximos aumentam a saúde e prolongam a longevidade.

Fontes 1, 2 e 3

Instagram

“Então é Natal, e o que você fez?”, canta a cantora Simone em seu álbum totalmente dedicado ao Natal tocado na íntegra mais de 12 vezes ao longo da ceia...

As tradicionais músicas de Natal podem ter um efeito bastante negativo sobre as pessoas. O problema, é claro, não são as músicas em si. A repetição excessiva das mesmas músicas, porém, pode levar a fadiga cognitiva e stress.

Victoria Williamson, da Universidade de Londres, conduziu uma pesquisa que descobriu que o apreço pelas músicas natalinas cresce no início da época. À medida que as pessoas continuam ouvindo as mesmas músicas, o prazer em ouvir vai caindo, causando stress.

“Qualquer pessoa que já tenha trabalhado em uma loja durante o período do Natal vai saber do que estou falando”, diz Williamson.

Williamsom explica que o impacto das músicas natalinas depende do estado mental anterior à música. Ela explica que muitas pessoas encaram problemas nessa época, o que já diminui a predisposição a gostar dessas canções.

A falta de dinheiro para comprar um presente para um familiar querido ou a pressão de viajar ou fazer algo de proveitoso acabam por criar uma pressão. A combinação das músicas às preocupações acaba por aumentar a fadiga mental.

Uma pesquisa da Consumer Reports, publicação de varejo americana, descobriu que 23% dos americanos via nas músicas natalinas o pior lado da data. Outro estudo, realizada no Canadá por uma empresa de pesquisas, viu que 36% dos entrevistados admitiam deixar uma loja antes do que precisavam por conta da trilha natalina.

Fonte

Instagram

Segundo estudo feito pelo cientista Li-Qiang Qin, da Universidade de Soochow, na China, comer queijo todos os dias pode ajudar a prevenir ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais.

A pesquisa, publicada na revista “European Journal of Nutrition”, concluiu que o queijo sempre foi apontado como um “perigo” para a saúde do coração devido ao seu teor de gorduras saturadas. Mas vários estudos nos últimos anos comprovaram o contrário.

O artigo se baseou na revisão de 15 pesquisas publicadas, que analisaram um total de 200 mil pessoas, todas saudáveis e cuja saúde foi monitorada, em média, por dez anos.

De acordo com os dados, as pessoas que rotineiramente comem queijo têm um risco 18% menor de desenvolver doenças cardiovasculares, 14% menor de ter ataque cardíaco e 10% menor de sofrer acidente vascular cerebral, do que aqueles que não consomem queijo.

Coma queijo com moderação! A quantidade considerada mais eficaz para ser consumida diariamente é de cerca de 40 gramas.

Fonte

Instagram

Lavar a louça com concentração pode ajudar a limpar a mente de pensamentos negativos.

Pesquisadores da Florida State University reuniram 51 voluntários que leram instruções antes de lavarem 18 pratos cada um.

Metade leu instruções inspiradas na meditação mindfulness, com orientações para que os voluntários se concentrassem no ato de lavar os pratos e estivessem plenamente conscientes de todos os movimentos, a respiração e os aspectos sensoriais da prática.

A outra metade leu um texto curto e descritivo sobre como lavar louça corretamente.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que lavaram os pratos usando a técnica mindfulness (se concentrando na temperatura da água, no aroma do sabão e nos movimentos que estavam fazendo) relataram sentimentos de inspiração 25% maiores e níveis de nervosismo 27% mais baixos que antes de lavar a louça.

Por outro lado, os que não praticaram a atenção concentrada não se beneficiaram da tarefa. Os níveis de estresse foram aferidos por um questionário objetivo realizado com os participantes antes e depois da lavagem da louça.

Os pesquisadores concluíram que a pesquisa sugere que atividades cotidianas podem ser ótimas oportunidades para praticar a técnica mindfulness com bons resultados.

Fonte

Geral
Anônimo

Anônimo

Se for verdade eu estou te respondendo essa pergunta do além! É mentira, pode comer!

Na verdade é muito melhor que isso, não existe hora boa ou hora ruim para comer frutas! É claro que você não irá encher o estômago de banana atrás de banana poucos minutos antes de dormir, né? Assim como qualquer má alimentação antes de se deitar, a digestão pode ser afetada. E se você quiser ficar ainda mais feliz com essa notícia, os carboidratos presentes na banana ajudam na produção de serotonina, a substância responsável pela regulação do sono. Além de saudável, a fruta pode ainda te ajudar a pregar os olhos na hora de dormir.