Geral
Anônimo

Anônimo

Pq era uma mensagem cifrada contra o imperador Nero. Por essa vc não esperava, né? Pois é.

Não, esta não é uma teoria da conspiração lunática, mas sim o resultado de estudos teólogicos. Vamos ao que interessa: como assim, Nero? Primeiramente, temos que levar em conta que a Bíblia não foi escrita toda de uma vez. O trecho do livro Apocalipse que faz menção ao número 666 foi concluído no final do século I e é o seguinte: "Quem tiver discernimento calcule o número da besta, pois é número de homem; e o seu número é seiscentos e sessenta e seis" Apocalipse, 18:13.

Lendo atentamente, fica bem claro que o autor diz que é um número, referente a um homem, que precisa ser calculado. Beleza, vamos lá:

1º dado: o imperador Cesar Nero governou Roma de 54 a 68 e perseguiu violentamente o povo cristão.

2º dado: 7 é o número da perfeição. O que vem antes dele não é perfeito. Logo, 6 é o número da imperfeição. Ainda segundo o livro Gênesis, foi no sexto dia que Deus criou o homem. Portanto, 6 também é o número do homem. E o próprio trecho apocalíptico deixa claro estar se referindo a um homem. Sendo 3 o número da santíssima trindade (pai, filho e espírito santo), o número 6 repetido três vezes significa um homem imperfeito que se equivale ao próprio Deus e o anfronta, ou seja, o Anticristo (Nero executou centenas de cristãos por se recusarem a adora-lo como um deus). 

3º dado: (agora vc vai ficar de cara): agregando os devidos valores numéricos a cada letra do nome original do imperador NVRN RSQ (o alfabeto hebraico só usava consoantes), dá 666.  o.O  Como uma parcela mínima dos nossos leitores falam hebraico, mostramos a conta: N(50) + V(6) + R(200) + N(50) + R(200) + S(60) + Q(100) = 666.

O número 666 foi uma forma cifrada que o povo cristão encontrou para se referir ao imperador sem que fossem descobertos, disseminando a idéia de que ele era o Anticristo em carne e osso mas que todos deveriam ser resistentes e fiéis porque, no final das contas, o povo cristão venceria. 

Portanto, se vc acredita que gritar o número é praticamente invocar o Diabo, está enganado. Você só está gritando o nome do imperador mais insano de Roma.

Abaixo, a lista com os valores de cada letra do alfabeto hebraico. Parafraseando a bíblia, "quem tiver discernimento, calcule o número da besta". ;-) 

Alef = 1; Bet = 2; Guimel = 3; Dalet = 4; He = 5; Vav = 6; Zayin = 7; Chet = 8; Tet = 9; Yod = 10; Kaf = 20; Lamed = 30; Mem = 40; Num = 50; Sameq = 60; Ayin = 70; Pe = 80; Tsadi = 90; Kof = 100; Resh = 200; Shin = 300; Tav = 400.
--
Livros relacionados:

-A Besta, de Roslund e Hellström
"Uma história perturbadora e profundamente chocante sobre o que pode ocorrer quando tomamos a justiça em nossas mãos."

-Marca, A Besta Controla o Mundo, de Tim Lahaye e Jerry B. Jenkins
"Após uma atordoante sequência de eventos, o líder mundial Nicolae Carpathia, depois de ressuscitar, assume seu lugar no mundo como o Anticristo."

- A Besta Humana, de Émile Zola
"Zola é considerado fundador do naturalismo, ler suas obras é fundamental, dado que são clássicos da literatura. A Besta Humana é um dos que devem ser lidos por quem ama romances de qualidade."

Geral
Anônimo

Anônimo

Poucos. Na Roma antiga, a homossexualidade masculina era extremamente comum e com as mais diversas finalidades. Mas a diversão carnal (homo ou hétero) era vista como algo de direito masculino, sendo privado das mulheres (temos resquícios dessa mentalidade até hoje) sendo comum a máxima "com homens para diversão, com mulheres para reprodução". Portanto, lesbianismo não era visto com bons olhos pelo Império Romano. E, mesmo não sendo preconceitualizado em outras sociedades, ainda assim existem poucos registros em decorrência do descaso geral com que a história tratou as mulheres. Mas que existia, claro, existia. A própria Roma antiga tem registro de um homem que matou a esposa ao encontrá-la na cama com outra. Todavia, o primeiro texto poético que sugere a atração entre mulheres data de 2300 a.C. e é de autoria da princesa e sacerdotisa da Acádia - Enheduanna. Se tratam de hinos em louvor à deusa da guerra Inanna, nos quais a sensualidade da deusa é fortemente ressaltada, chegando a chama-la de "esposa". 


Deusa Inanna

Um texto do antigo Egito se refere a um feitiço de amor feito por uma mulher chamada Sarapias com a finalidade de seduzir outra mulher - Herais. De acordo com algumas lendas, o deus hindu Ganesha é fruto de uma relação entre duas deusas. 

Ganesha

O código de Hamurábi (monolito mesopotâmico de cerca de 1.700 a.C. que é o primeiro registro de um código de leis) menciona uma figura chamada "salzikrum", descrita como uma mulher masculinizada que podia ter várias esposas, direito de hereditariedade e que provavelmente nunca teve filhos. O próprio nome do personagem significa "filha-macho". 

Na China, era normal casais femininos onde elas se relacionavam como marido e mulher, sendo que a prática tinha até um nome distinto: dui shi.Além de registros de tribos primitivas onde a relação entre mulheres era comum, quando não exclusiva.

Mas quem marcou essa história foi a poetisa grega Safos, que, a cerca de 600 a.C., registrou abertamente seus desejos sexuais também por pessoas do mesmo sexo. Sua poesia erótica e política rendeu-lhe polêmicas antes e depois da morte, tendo seus textos queimados no Império Romano. Ela também é a responsável pelo termo "lésbica" - a poetisa nasceu na ilha de Lesbos.

Safos, poetisa grega de 600 a.C