Geral
"Será que a sua personalidade é comum, reservada, do tipo-modelo ou egocêntrica?"

Existem quatro PRINCIPAIS tipos de personalidade - a comum, a reservada, o tipo-modelo e o egocêntrico, segundo o estudo. Os traços básicos nos quais elas se baseiam são o neuroticismo, a extroversão, o espírito aberto, a afetividade e a autoconsciência.

As pessoas se questionam sobre qual seria o seu tipo de personalidade. Horóscopo, questionários ou mesmo o Teste Myers-Briggs (dos 16 tipos de personalidade) são usados para testar isso e gerar pertencimento.

Um estudo publicado na revista Nature tentou delinear o que os pesquisadores acreditam ser as quatro principais personalidades humanas. A pesquisa foi realizada por pesquisadores da Northwestern University, em Illinois agora em 2018.

Para realizar o estudo, foi utilizado um banco de dados com mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo e as descobertas têm potencial de serem utilizadas por diversas áreas, desde recrutadores de novos empregos até quem estuda saúde mental.

A personalidade "comum" foi a mais encontrada, como sugerido pelo nome. As pessoas com esse tipo têm pontuação alta em neuroticismo e extroversão, mas têm baixa pontuação no espírito aberto.

Os "tipos-modelos", por outro lado, tiveram um baixo índice de neuroticismo e altos em todas as outras características. Os pesquisadores disseram que alguém nessa categoria é caracterizado por ser super confiante e ter as qualidades de um bom líder.

A categoria "reservada" é composta por pessoas emocionalmente estáveis, mas com baixa pontuação em espírito aberto e neuroticismo. Elas são agradáveis e conscientes, mas pouco extrovertidas. Esta categoria contemplou a maior variedade em termos de idade e sexo.

Por último, os tipos "egocêntricos" pontuam particularmente em extroversão e abaixo da média em características como espírito aberto, afetividade e autoconsciência. Adolescentes tendiam a ser super-representados neste grupo.

Os pesquisadores, contudo, enfatizaram que os tipos de personalidade podem mudar ao longo do tempo, basta analisar o quanto uma pessoa muda dos seus 20 e poucos até os 40 anos.

Fonte