Geral
Ruhama Pessoa

Ruhama Pessoa

Sim, e não são poucas. São resquícios de mecanismos que já foram úteis no dia a dia dos nossos ancestrais. Mas, como a nossa adaptação social é mais rápida que a biológica, muitos deles perderam sua função mas ainda continuam lá, só ocupando espaço ou nos causando transtornos. 

As próximas gerações provavelmente não os terão. Por exemplo, algumas pessoas já não desenvolvem os dentes do siso e, na brincadeira, são chamados de "o próximo passo evolutivo", num paralelo com os X-Men. Mas é um conceito errado, já que o termo "evolução" é empregado quando rola uma adaptação que melhore significativamente a sobrevivência e/ou reprodução do indivíduo. E duvido que vc conheça uma menina que tem atração maior por pessoas que naturalmente não têm siso. 

Mas vamos listar logo algumas das partes inúteis que os reais X-Men provavelmente não terão mais:


1. Ponto de Darwin: é essa dobra na borda superior da orelha. Servia para captar melhor sons distantes, auxiliando na caça e proteção contra predadores. Hoje, para ir pro mercado, vc não precisa dela.

2. Músculos auriculares externos: a função principal deste conjunto de três músculos é mexer as orelhas, assim como um cachorro, gato, vaca e tantos outros animais. De novo, servia pra captar melhor os sons. Hoje, no máximo para arrancar umas risadas rápidas na mesa do bar. Sim, algumas pessoas ainda conseguem mexer as orelhas, como um dos membros da nossa equipe.

3. Terceira pálpebra: é esse pedacinho melequento no canto do olho onde junta a remela. Antigamente, era uma pálpebra extra que auxiliava na hidratação do globo ocular, como a das aves e dos répteis.

4. Dentes do siso: usávamos quando precisávamos mastigar a carne crua. Depois que aprendemos que assada ela fica mais molinha, não precisamos mais dele. 

5. Mamilo masculino: desenvolvido ainda quando o feto não tem a diferenciação sexual, o mamilo perde sua função essencial quando o feto vira masculino, embora ainda seja sensorial e (pasme) possa ser estimulado a produzir leite. 

6. Vesícula biliar: não sejamos injustos - ela até ajuda. A vesícula é um saquinho grudado no fígado que armazena a bílis, que é o nosso detergente natural. Quando chega gordura pra ser digerida, a vesícula entra com a bílis e tudo facilita. O problema é quando surgem cálculos (tipo umas pedrinhas) por lá. A dor é tão intensa que não compensa - melhor remover.

7. Cóccix: é o ultimo osso da nossa coluna vertebral, composto de 5 ossos agregados, resquício do rabo nos nossos ancestrais. Mas o rabo perdeu sua função e sumiu na maioria dos humanos. Sim, maioria, pois ainda existem raros casos de má-formação onde o rabo ancestral aparece. Não é a coisa mais linda do mundo, mas, se vc quiser, pode conferir aqui.

8. Útero masculino: também derivado das primeiras semanas da gestação, o homem permanece com a estrutura primária do útero próximo a sua próstata. Não é nada demais, não incomoda e nem funciona, só está lá.

9. Apêndice: é um rabichinho de músculos preso ao intestino grosso. Ele auxiliava na digestão da celulose, mas há muito tempo que nossa alimentação não é mais uma dieta exclusiva de vegetais, então ele perdeu a função e hoje só é citado quando infecciona e precisa ser removido. Mesmo se vc for vegetariano ou vegano não se preocupe, pois consegue viver sem ele.  

10. Eriçador de pêlos: eles deixam os pelos em pé quando estamos com frio, a fim de criar uma camada mais espessa e nos proteger. Muitas espécies ainda têm neles grandes aliados, mas em nós nem causam mais efeito, pois mal pelos temos. Aliás, os próprios pelos tendem a deixar de existir, já que desenvolvemos outros meios de nos proteger do frio.

11. Dedos do pé: fora o dedão, que nos dá equilíbrio e estabilidade, os demais já não têm mais a menor utilidade. A não ser o dedinho, que desenvolveu a função de bater em qualquer quina e doer. Muito. 

* O desenho é do nosso ilustrador oficial, Daniel Wu. Encontre esboço do desenho escondido no post.

Geral
Anônimo

Anônimo

Por conta da evolução, essa linda.

Não só barba, mas índios brasileiros mal têm pelos no corpo. Os ancestrais deles eram como todos os ancestrais: peludos. Todavia, os índios brasileiros viviam em regiões muito quentes, com florestas densas e úmidas. Logo, quem tinha mais pelos acumulava mais umidadee ficava suscetível a desenvolver mais doenças. Além do que, os lisinhos ainda nadavam e corriam melhor, se dando bem na caça. Logo, os com menos pelos se tornavam os mais fortes, mais saudáveis, tinham uma vida mais longa, atraiam mais fêmeas e perpetuaram seus genes pelados.

Geral
Dalila Alves

Dalila Alves

Por causa de uma mutação genética, que faz a feomelanina dos “cabelo-de-fogo” ser mais avermelhada que o normal.

Como você já deve saber, todos nós possuímos 23 pares de cromossomos, sendo 22 autossômicos e um alossomo. O alossomo é o que define se você será mano (cromossomo XY) ou mina (cromossomo XX).

Pessoas ruivas possuem uma mutação genética específica nos cromossomos que formam o par 16, que interferem na produção de dois pigmentos responsáveis pela coloração dos cabelos e pêlos - a eumelanina, de tonalidade acastanhada ou preta e a feomelanina, de tonalidade avermelhada ou amarelada.

Todo mundo possui os dois pigmentos misturados, mas alguns têm mais feomelanina e outros, mais eumelanina.

A tal mutação do gene 16 é quem faz com que a feomelanina dos ferrugens seja mais avermelhada.

Outro efeito colateral da mutação é a concentração desses pigmentos em certas partes do corpo, as sardinhas.

“Mas Interessante, eu não sou ruivo/a e tenho um monte de sardas. Explica?"

Explico. Em pessoas não-ruivas, essas pintinhas charmosas aparecem devido a uma defesa da sua pele à agressão do sol: ela se pigmenta para evitar que os raios solares penetrem (ui) na sua pele. Entendeu porque as pessoas geralmente ficam bronzeadas quando tomam sol? Então.

Ah, este lance do bronze geralmente não se aplica à maioria dos ruivos. Eles não possuem pigmentos suficientes para se bronzear e acabam virando pimentões.

BÔNUS: Algumas curiosidades sobre os “arrotos-de-fanta”

1- O lugar do mundo com mais ruivos é a Grã-Bretanha. Só para você ter uma ideia, na Escócia, 10% da população é composta de gente com a cabeça vermelha.

2- Estima-se que existam cerca 70 milhões de ruivos no mundo, mas não há uma contagem exata deste número.

3- Os ruivos NÃO VÃO ACABAR! Há algum tempo circulou na internet uma história de que os ruivos estavam ameaçados de extinção, mas pouco tempo depois, vários especialistas desmentiram este boato.

4- Na maioria das vezes, sim, é tudo ruivo. Mas há alguns casos raros em que o tapete tem uma tonalidade um pouco diferente da cortina. 5- Durante a Santa Inquisição, pessoas ruivas eram condenadas à fogueira por feitiçaria. A Igreja Católica acreditava que o Satã se manifestava através das pessoas de cabelo avermelhado.

6- No século XV, a gordura extraída de um ruivo depois de morto era um ingrediente muito procurado para venenos e feitiços.

7- Na Grécia Antiga, havia uma crença de que a presença de uma pessoa ruiva significava azar.

8- Ruivos possuem riscos maiores de desenvolver câncer de pele, Mal de Parkinson e Síndrome de Tourette. ;-/

9- De acordo com um estudo de DNA publicado pela BBC, há grandes possibilidades de os homens de Neandertal eram ruivos.
Imagem: BBC de Londres

10- Ruivos possuem maior sensibilidade à dor e mais resistência a anestésicos e entorpecentes. E é a isso que os cientistas da Associação Dentária Americana atribuem um dado alarmante: ruivos evitam duas vezes mais ir ao dentista do que os não-ruivos.

11- Um dos criadores do MUITOinteressante é ruivo e morria de vergonha de ser assim. Hoje em dia ele é acostumado.

Geral
Cíntia Molina Pukaro

Cíntia Molina Pukaro

Biologicamente falando, por causa de um hormônio chamado androgênio. Na verdade, ambos os sexos têm esse hormônio, só varia a quantidade. Mas quando entramos na puberdade o androgênio (com uma ajuda da testosterona), vai regulando o volume e grossura dos pelos. Como os homens têm mais, começam a engrossar os pelos também do peito, barriga e do rosto. Tudo sob o controle da genética.

Evolutivamente falando (evolução, sua linda) ter mais barba (e pelos no geral) significa ter mais testosterona, o que significa ser um reprodutor eficiente, o que atraiu mais fêmeas e facilitou os machos peludos perpetuarem seus genes igualmente peludos. Alguns especialistas também afirmam que os mais felpudos eram os que melhor se saíam durante as caçadas, pois estavam protegidos do vento, frio, sol e detritos. Daí voltavam vivões, melhor alimentados por terem caçado melhor, atraíam as fêmeas e o resto é amor.

Geral
Anônimo

Anônimo

Pq coça. Mas claro que essa coceira tem uma explicação FORA a falta de higiene ou possíveis doenças. Para explicar, vamos nos livrar de eufemismos e dar nomes aos bois de uma vez, ok?

Imagem meramente ilustrativa

Dentro da cueca, o dia todo, ficam o saco, as duas bolas e o pinto, todos amontoados, rodeados por pelos no meio das pernas. Claro que isso esquenta. E muito calor compromete a produção de sêmem. Por isso que o cérebro dispara aquela coceirinha: para que o homem movimente aquelas partes e areje um pouquinho. Mas uma coceirinha é pouco e a região não demora a reaquecer, logo, o ato precisa ser repetido várias vezes ao dia. Senão é capaz do conjunto cozinhar ali mesmo.

Outra causa da coceira é que o saco contrai. Tanto por conta da variação térmica quanto por que é outro mecanismo do corpo para que a região tenha algum movimento. Com esses movimentos, os pelos do saco acabam roçando, disparando a coceira e começa tudo de novo. E o ato de coçar é tido como uma das melhores recompensas que corpo pode se proporcionar.

Todavia, não é por isso que tá liberado coçar abertamente, sem se preocupar com quem está por perto. É socialmente grosseiro. Então vamos balancear:

Meninas: não façam caretas ou gritem quando ver um amigo coçar o saco. Não é fácil (nem saudável) resistir.

Meninos: na maioria dos casos, continuem se aliviando com aquela beliscadinha sutil. ;-)