Geral
Nudez no MAM repercutiu mais de 12 vezes mais que menino deixado na cela de um estuprador de menores no Piauí

Os dados são do "Monitor do debate político no meio digital", que analisou o compartilhamento de notícias nos 2 primeiros dias de repercussão de cada assunto.


O caso do estuprador do Piauí rendeu 45 mil compartilhamentos de notícias nos dias 3 e 4 de outubro, que são os primeiros dias em que o caso veio a publico.

Já a cena de nudez no MAM rendeu 550 mil compartilhamentos de notícias nos dias 28 e 29 de setembro, os dois primeiros dias de repercussão do caso.

Em números exatos, a notícia sobre o estuprador do Piauí motivou 8,2% dos compartilhamentos de notícias do caso do MAM.

O "Monitor do debate político no meio digital" é um projeto do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso a Informação da USP.

Vale ler também o texto que a Revista Galileu publicou sobre o assunto.

Geral
Anônimo

Anônimo

Infelizmente, sim. Estima-se que 10% dos casos de pedofilia registrados são praticados por mulheres. Na maior parte, a criminosa é a própria mãe, mas também outras recorrentes são professoras, tias, irmãs e babás.

E o que é necessário esclarecer é que "abuso sexual" não se estabelece exclusivamente diante de penetração peniana. Ele pode se dar por carícias indevidas, penetração de objetos, abuso verbal, masturbação, sexo oral etc.

O que dificulta bastante o registro da pedofilia feminina é:

1) timidez para denunciar;

2) os relatos são tidos como uma percepção exagerada de simples carícias, já que mulheres no geral são fisicamente mais carinhosas que homens;

3) os abusos não são considerados violações pela própria vítima. Quantos meninos contam ter perdido a virgindade ainda muito novo com uma mulher mais velha sem se dar conta de que isso se configura um crime?

Existem vários estudos e publicações sobre o assunto, como os livros L'últime tabou: femmes pedophiles, femmes incestueuses (O último tabu: mulheres pedófilas, mulheres incestuosas), de Anne Poirot e Female Sexual Abuse of Children (Abuso sexual feminino de crianças), de Michele Elliott.