Geral
Luiz Felipe

Luiz Felipe

Oficialmente sim, mas há controvérsias.

No dia 16 de julho de 1969 a missão Apollo 11, da NASA, tripulada pelos astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins, partiu da Flórida, nos EUA para a Lua. Centenas de milhares de pessoas assistiram ao lançamento pelas estradas e campos ao redor do Centro Espacial Kennedy. Foi a quinta missão espacial tripulada do Programa Apollo e de acordo com a NASA, a primeira a pousar na Lua. Após quatro dias de expedição, sob o olhar de milhões de telespectadores em todo o mundo, o módulo lunar teria tocado a superfície da Lua. Em 20 de julho de 1969 Neil Armstrong desembarcou no satélite e disse: "Este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade". 

Depois de passar duas horas dando saltinhos pela Lua, Aldrin e Armstrong voltaram para o módulo de comando (de onde Michael não saiu) e enfrentaram mais 4 dias de viagem à Terra. Estava cumprida a promessa do então presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, que anos antes garantiu que EUA mandariam uma missão tripulada com segurança à Lua antes do final da década. 

Mas ainda que a NASA apresente provas de que é tudo verdade, há versões plausíveis que mostram o contrário. 

5 indícios que provariam a ida do homem à Lua:

1 - Os mais de 500 mil funcionários que já trabalharam na NASA são livres para falar
Não seria fácil manter um segredo desses entre tanta gente. Se realmente fosse uma farsa, algum funcionário já teria dado com a língua nos dentes, já que os aposentados da NASA não são mais obrigados a manter segredos de missões. 


2- Os astronautas trouxeram amostras de pedras lunares

Os 380 kg de pedras lunares trazidas pelos astronautas do Projeto Apollo foram estudadas por cientistas do mundo inteiro, inclusive pelos russos. Estudiosos mais céticos alegam que tenham sido trazidas em missões secretas não tripuladas.


3- Espelhos
Em algumas das missões foram deixados vários espelhos em lugares estratégicos da Lua com objetivo de medir com precisão milimétrica a distância entre a Terra e a Lua utilizando lasers. Estes espelhos são utilizados até hoje e é graças a eles a descoberta de que a Lua está se afastando da Terra 4 cm por ano.


4- No espaço não há privacidade
Qualquer um pode monitorar e rastrear as conversas por rádio no espaço, e pode apostar que os russos estavam fazendo isso. Há quem diga que os americanos enviaram naves não tripuladas para simular as conversas pré-gravadas na Terra, mas não há provas disso. 


5- Existem fotos de satélite dos equipamento deixados na Lua pelos astronautas
Em 2009, a NASA lançou a sonda Lunar Reconnaissance Orbiter, que orbitou a Lua e capturou imagens dos sítios de pouso das missões Apollo, onde foram identificados o modulo lunar e outros equipamentos deixados na Lua. Entre os equipamentos está uma câmera que foi deixada por Eugene Cernan, 11º astronauta a pisar em solo lunar, na última missão Apollo. Esta câmera estaria registrando a radiação cósmica e a esperança é de que um dia alguém a traga de volta para a Terra.


5 indícios que provariam que tudo é uma farsa:

1- Sombras em várias direções
Um dos maiores indícios de fraude são algumas fotos que têm sombras que apontam para vários lados diferentes. Como a única fonte de luz na Lua é o Sol, as sombras deviam ser paralelas.


2) A foto da Terra pode ser uma montagem
De acordo com o livro Conspirações: Tudo o que Não Querem que Você Saibado jornalista Edson Aran, as fotos da Terra tiradas entre as missões Apollo são possíveis montagens, provavelmente feitas por pessoas diferentes, devido à diferença do tamanho da Terra entre as fotos que têm as mesmas proporções de distância.


3- Não há marcas no solo abaixo do Modulo Lunar
Por que o pouso de uma estrutura tão grande não gerou nenhum dano ao solo lunar? A aterrissagem deveria criar uma pequena cratera em volta dos pés e do propulsor do modulo, mas nada disso é visto nas fotos.

Somente na 6° expedição o solo lunar aparece com o pé do modulo afundado.


4) Bandeira tremulando.

Como não há vento na Lua, um dos maiores motivos que levam as pessoas a duvidarem da ida do homem à Lua são as fotos da bandeira americana tremulando como se estivesse ao vento. A NASA explicou que a sensação de que a bandeira está ao vento foi causada por uma pequena haste que foi colocada para manter a bandeira visível por completo.


5- Onde estão as gravações originais?
Devido à pouca tecnologia da TV na época, a NASA diminuiu propositalmente a qualidade das imagens para que pudessem ser transmitidas ao vivo. Chegando na Terra, as imagens foram mostradas em um monitor preto-e-branco que era filmado por outra câmera, perdendo ainda mais qualidade ao serem transmitidas para as redes de televisão do mundo. Em 2006, a Agência Espacial norte-americana afirmou ter perdido os vídeos originais do primeiro pouso na Lua. Em 2009 foi declarado que a NASA gravou intencionalmente outras imagens e dados de satélites em cima das fitas originais que continham o fato histórico mais importante da agência em todos os tempos. O motivo seria economia de dinheiro.

Verdade ou conspiração? A resposta a esta pergunta divide opiniões de astrônomos no mundo todo. O que você acha? Use o campo dos comentários para questionar e dar a sua visão dos fatos. 

Colaborou Sidney Alves
Neste site não há easter eggs, mas se vc encontrar o vídeo oculto, não conte a ninguém, apenas cante um trecho da música nos comentários. Se encontrar outras teorias da conspiração, só diga se acredita ou não.

Interessantech
Anônimo

Anônimo

Sim, mas é muito lenta. Não por falta de tecnologia, mas pela velocidade em que a Estação Espacial Internacional orbita a Terra - 27.000 Km/h. Os astronautas recebem uma banda de aproximadamente 5 Gbps via satélite, mas a o que chega lá é algo que geralmente varia entre 56 Kbps e 256 Kbps (lembra da internet discada?). Alguns astronautas tem até contas oficiais no twitter e outras redes, onde eles mostram um pouco de como é viver no espaço. O mais famoso é o astronauta canadense Chris Hadfield, primeiro a fazer esse tipo de divulgação. Veja este videoclipe MUITO legal que ele fez com imagens diretamente do espaço:

Vale lembrar que diferente dos astronautas da Estação Espacial Internacional, cerca de 5 bilhões de pessoas na Terra ainda não tem acesso à internet. ;-|

Se vc encontrou a imagem oculta não conte a ninguém, mas responda: com esse bigodinho, o Chris não tá a cara desse cantor?

Colaborou Sidney Alves

Geral
Gabriela Pessoa

Gabriela Pessoa

Eles precisam tomar vários cuidados especiais, senão o cocô e o xixi vão ficar flutuando por aí.

Cortando o rabo do macaco
Na hora de soltar o barro, os astronautas encaixam o bumbum em uma privada especial, com uma série de amarras para impedir que o tripulante flutue enquanto estiver passando um fax.

Outra característica curiosa deste trono é que ele não possui água - elemento extremamente precioso quando se está no espaço. Ele é equipado com um aspirador que usa ar para levar o barro para uma espécie de compactador, que vai extrair toda a umidade do material e guardá-lo em um compartimento.

A ideia é descartar tudo quando a missão volta à terra, mas quando os astronautas cagam muito e este compartimento fica lotado, o cocô é despejado no espaço mesmo. Este aspirador também é responsável por criar um vácuo entre a bunda do astronauta e o trono, impedindo que o cocô “fuja”.

E como no espaço o ar é também muito precioso, este aspirador filtra o ar que usa para sugar os dejetos, para que ele volte a circular novamente no ambiente do ônibus ou da estação espacial.

Tirando água do joelho

Na hora de fazer xixi, os meninos encaixam na pirok em um tubo acoplado ao aspirador da privada. Já as meninas encaixam no tubo um adaptador retangular que cobre toda a ppk, evitando vazamentos indesejáveis.

E nada pode ser desperdiçado. Um sistema ultra sofisticado de filtragem transforma parte do xixi em água potável, que é utilizada por todos os astronautas da missão.
Não clique, é nojento.

Mas eles nem sempre podem usar o banheiro. Como o processo de lançamento de um ônibus espacial é bastante demorado e os viajantes não podem ficar passeando pelo veículo durante o procedimento, eles usam o que chamam de “Vestimenta de Máxima Absorção”, também conhecida como fralda.

Astronauta mostra fralda durante a palestra

As fraldas também são utilizadas durante asspacewalks, que são as atividades extra-veiculares. Como o tempo de permanência fora do veículo é limitado, eles não podem se dar ao luxo ir ao banheiro quando bem querem. Aí eles se aliviam como nos velhos tempos de bebê.
Sugerimos que vc não procure o gif oculto. É nojento.

Geral
Anônimo

Anônimo

Porque seria burrice.

Não teria sentido gastar rios de dinheiro mandando gente para o nosso satélite natural, já que enviar missões não-tripuladas ao espaço é mais barato, mais seguro e mais vantajoso para os estudos.

Aliás, vale lembrar que a ida do homem à Lua aconteceu muito mais por motivos de recalque político do que científico. Vamos relembrar os fatos?

Lá nos anos 60, a Guerra Fria congelava o clima entre os EUA e a União Soviética.

A treta espacial começou quando a Rússia deu um tapa na cara da sociedade entrando para a história ao enviar o primeiro homem pro espaço - o russo Yuri Gagárin, em 1961.

Na ocasião, os EUA ficaram com tanta inveja que o então presidente John Kennedy jurou que deixaria a Rússia no chinelo enviando a primeira missão tripulada à Lua até o fim da década.

A promessa foi cumprida 8 anos mais tarde e os EUA tombou com a cara dos inimigos, quando a Missão Apollo pousou na Lua, recheado com uma dúzia de astronautas.

Mas a brincadeira não foi nada barata. O governo norte-americano gastou mais de 20 bilhões de dólares na missão, o que atualizando para os valores de hoje, daria aproximadamente 85 BILHÕES de dólares - quase 5 vezes o que o governo brasileiro gastou (?) nas obras para a Copa do Mundo da Fifa.

Só para você ter uma ideia do quanto essa parada foi cara, a missão do Curiosity, carro/robô que pousou no solo de Marte em 2012 e é uma das missões mais caras da história, custou 2,5 bilhões de dólares.

Ah, é claro que tem a versão conspiratória, que chega a sugerir que o homem sequer chegou à Lua. Mas isso é assunto para outro post.

--

Ajude a decidir qual será a próxima pergunta respondida votando AQUI. ;-)

Geral
Nasa quer jogar sinuca com asteróides para proteger a Terra

Acredite se quiser: cientistas estão propondo jogar pequenos e benéficos asteroides próximos da Terra em direção a grandes e perigosos corpos celestes, como em uma partida de sinuca cósmica de alto risco.

Há milhões de asteroides perto da Terra, um fator de risco: quando um meteoro explodiu no céu da cidade russa de Chelyabinsk provocou uma onda de choque, estilhaçando janelas e deixando aproximadamente 1.500 pessoas feridas pelos estilhaços.

A preocupação dos pesquisadores é causada pelo fato de que apenas um terço dos asteroides próximos da Terra foi encontrado e rastreado, conforme a NASA. Com base nessa preocupação, estratégias estão sendo criadas e estudadas.

Uma das estratégias para evitar a colisão de um asteroide, seria utilizar uma bomba nuclear: essa possibilidade seria o último recurso - seria usada apenas caso o asteroide seja grande o suficiente e não houvesse tempo para utilizar qualquer outro método.

Outra estratégia seria seria a utilização do "pêndulo cinético", batendo no asteroide, impactando seu curso, além da possibilidade da utilização do método "trator gravitacional", consistindo em uma espaçonave que desviaria o asteroide.

Além disso, há a ideia de combate, que seria jogar sinuca com os asteroides, nesse caso, envolve o lançamento de uma espaçonave robótica, pousando no asteroide e então disparando propulsores para uma "assistência gravitacional".

Dunham ainda enfatiza que o conceito do jogo de sinuca com asteroides precisa ser estudado detalhadamente para ser totalmente executado.

Fonte