Geral
Anônimo

Anônimo

Quem acha que é a Faroeste Caboclo, com seus mais de nove minutos, está enganado. Ela é fichinha comparada à As Slow As Possible (O Mais Lento Possível) que, como o nome já indica, é a música mais demorada da história.

Composta por John Cage em 1987, ela não deveria passar de 20 a 70 minutos. SÓ QUE o compositor nunca especificou o tempo das notas. Daí um grupo de filósofos e músicos decidiu reduzir o ritmo de tal forma que a música levasse 639 anos para finalizar. Sim, apenas 639 anos. E já começou! Eles começaram a tocar a As Slow As Possible em 05 de setembro de 2001, numa igreja em Halberstadt, Alemanha, com término previsto para 2640. Para você ter uma noção, só a primeira nota levou 11 meses para mudar (logo, não é lá uma música muuuito animada). O órgão a que executa tem um sistema de ventilação mecânica que só exige a presença humana durante as alterações de notas. 

Portanto, pode acabar de ler as curiosidades tranquilamente - ela estará tocando quando você chegar lá. Mas, se você for muito ansioso, veja o vídeo de uma das alterações de nota:

Geral
Anônimo

Anônimo

Foi Bertha Celeste Homem de Mello.

Tudo aconteceu num concurso da Rádio Tupi, em 1942, que reuniu imortais da Academia Brasileira de Letras para escolher e oficializar a versão brasileira da já popular "Happy Birthdate to You". Das mais de 5 mil cartas recebidas, a vencedora foi a quarentona Bertha Celeste, filha única de fazendeiros, formada em Farmácia e mãe de uma filha. Até sua morte, em 1999, aos 97 anos, dona Bertha corrigia ferozmente quem cantasse errado sua versão, que é a seguinte: "Parabéns a você (não pra você) / Nesta data querida / Muita felicidade (no singular mesmo) / Muitos anos de vida."

Plus: a música original foi composta pelas professoras e irmãs estadunidenses Mildred e Patricia Smith Hill em 1875 e se chamava “Good Morning to All”. Em 1924, o escritor americano Robert Coleman valeu-se da melodia e publicou a "Happy Birthdate to You" em um livro. A família das professoras entrou com um processo, ganhou e até hoje recebe os royalties cada vez que alguém toca a música. Sim, é preciso pagar. Melhor cantar baixo na próxima festa.

Geral
Anônimo

Anônimo

Há um boato de que o ato de ouvir música CLÁSSICA deixaria o indivíduo mais inteligente, no entanto não há base científica que comprove essa hipótese. E tem mais, de acordo com o pesquisador Frances Rauscher, assim como a música clássica não deixa ninguém mais inteligente, ouvir outros estilos musicais também não diminui em nada o QI de uma pessoa, já que não há relação direta de uma coisa com outra. Ou seja, se você ouve rock, MPB, sertanejo ou funk, você não ficará mais inteligente (e nem mais burro) do que ninguém por conta do seu estilo musical preferido.