Geral
Anônimo

Anônimo

Não. Se vc está com esperanças de "desenvolver" os outros 90% e virar um super-herói, sentimos te informar que é apenas uma lenda. Ela deriva de uma confusão de informações vindas lá da década de 1890 por conta de uma criança-prodígio: William James Sidis. 

Estimulado pelos pais, o garoto, aos 18 meses, lia jornal, aos 8 já falava 9 línguas (inventando, posteriormente, uma própria a qual batizou de vendergood) e, aos 11, entrou em Harvard, seguindo uma sólida carreira acadêmica. Em uma de suas declarações, William disse que as pessoas só desenvolvem uma fração da sua própria capacidade intelectual. O que é plausível. Mas em 1936, o escritor americano Lowell Thomas creditou à declaração essa porcentagem e o boato se espalhou.

Hoje, com o avanço da tecnologia, ainda é impossível dizer com exatidão o quanto do cérebro é utilizado, mas já se sabe que não são apenas 10%. De lá pra cá foram identificadas ativações em diversas áreas cerebrais que trabalham interligadas para as finalidades mais sutis e rotineiras que podemos imaginar, muitas vezes até de forma incosciente. Por exemplo: reconhecer nuances mínimas no tom de voz de alguém e, assim, determinar seu humor exige muito do nosso processamento neural.

Os especialistas atuais afirmam que não saber com precisão a função de uma determinada área do cérebro não significa que ela não é usada. Significa apenas que ainda não sabemos.

E lá se vão suas esperanças de voar com o poder da mente. :(


William James Sidis

Geral
Giovanni Bisol

Giovanni Bisol

Não. Essa história de que a Grande Muralha da China é visível do espaço foi um equívoco da NASA, que confundiu o traçado do leito de um rio com a obra chinesa. Ninguém queria confirmar isso mais que a China, mas em 2003, quando Yang Liwei (primeiro astronauta chinês a ir ao espaço), chegou lá, ele não viu nada. :-/

E não foi por ele ter o olho muito puxadinho.

Após o confirmação do astronauta asiático, a NASA reconheceu oficialmente o erro.

E sabe aquela frase: "A Grande Muralha da China é a única obra humana que pode ser vista do espaço a olho nu." ? Ela também é uma afirmação incorreta. A ACC (Academia de Ciências da China) afirma que apesar da Grande Muralha não ser visível do espaço, outras obras feitas pelo homem são. As pirâmides do Egito, por exemplo, aparecem nesta foto feita do espaço pelo astronauta japonês Soichi Noguchi.

Lembrando que fatores como condições atmosféricas e a posição do observador precisam ser considerados.

Geral
Helena Gaspari Canela

Helena Gaspari Canela

Pura mentira.

Só para você ter uma ideia do tamanho desta lorota, o Cristo Redentor, por exemplo, é atingido por no mínimo 6 raios todos os anos, de acordo com o INPE.

Geralmente os raios dão preferência para objetos pontiagudos como pára-raios, árvores ou até mesmo pessoas. Isso acontece por que a ionização é mais forte nas pontas (ou cabeças) - onde os campos elétricos são mais intensos.

Mas calma, sem desespero! Em geral, a probabilidade de uma pessoa ser atingida por um raio é de uma para 980 mil. A coisa só começa a ficar perigosa mesmo se você estiver em pé, embaixo de uma tempestade em um terreno descampado (tipo praia). Nessas condições, as chances de que um raio o parta são de uma para mil. Melhor não arriscar, né?

Se vc encontrar o vídeo oculto, não conte a ninguém. Apenas diga o nome do personagem que gritava "por raios e trovões!"