Geral
Veja 5 curiosidades sobre a 'Lua de sangue'

Eclipse mais longo do século, a “Lua de sangue” terá duração menor nos céus brasileiros nesta sexta-feira (27). Em São Paulo, a fase total do fenômeno durará 34 minutos; no Rio de Janeiro, levará 47 minutos. Isso porque quando a lua chegar aos céus de de nossas cidades (17h39 em São Paulo e 17h26 no Rio), o eclipse já terá começado. A fase total do eclipse acaba às 18h13. O eclipse total terá visibilidade durante 1 hora e 43 minutos no leste da África e no sudeste da Ásia.

A “Lua de sangue”, por sua vez, nada mais é do que o nome informal que o astro recebe durante esse tipo específico de fenômeno, devido à cor avermelhada que adquire. Isso é resultado da incidência dos raios solares nos gases da atmosfera terrestre. Se nosso planeta não tivesse atmosfera (como é o caso da própria Lua, de Mercúrio e de outros planetas e satélites espaço a fora) esse espetáculo celeste não seria possível. Da mesma forma, a “Lua de sangue” só acontece durante eclipses lunares, totais ou parciais.

O nome “Lua de sangue” também está associado a superstições. No passado, muita gente acreditava que o fenômeno astronômico estava associado a maus presságios, desastres e outros infortúnios. Teorias mais pessimistas ligavam o fenômeno ao fim do mundo. Veja cinco curiosidades sobre o fenômeno astronômico que acontece nesta sexta-feira (27).

1 - A lua vai nascer no meio do eclipse. Imagine uma lua imensa, próxima ao horizonte - e vermelha

2 - Marte estará mais perto da Terra e sob tempestades de areia. Isso deixará o fenômeno mais brilhante

3 - A última vez que Terra e Marte estiveram tão próximos foi em 2003 - cerca de 55 milhões de quilômetros. Tal proximidade só havia ocorrido 60 mil anos atrás

4 - Apesar da proximidade com a última grande oposição, Marte só ficará tão em evidência para os observadores terrestres em 2287, daqui 269 anos

5 - Por que esse será o eclipse mais longo do século? É tudo uma questão de geometria: nesse eclipse a Lua vai passar bem no centro da sombra da Terra.

Fonte