Geral
Pessoas com pavio curto tendem a superestimar sua inteligência, diz estudo

Todo mundo conhece alguém de pavio curto. Por outro lado, ninguém gosta de admitir que é essa pessoa. Se for você, aqui vai uma notícia nada agradável: você provavelmente é menos inteligente do que pensa, segundo um estudo da faculdade de Psicologia da Universidade de Varsóvia.

A pesquisa concluiu que pessoas com raiva têm maior tendência a superestimar sua inteligência em comparação às mais calmas. Estar bravo está ligado a ilusões narcisistas, assim como uma maior crença em suas habilidades, explicou Marcin Zajenkowski, que conduziu o estudo.

Duas pesquisas foram feitas com um total de 528 pessoas. Depois de serem questionados sobre seu temperamento, os participantes tinham que classificar seu nível de inteligência em uma escala de 25 pontos.

Em seguida, eles deveriam comprovar suas respostas na prática - respondendo a um teste. Segundo os cientistas, o temperamento dos participantes e seu nível real de inteligência não estão relacionados, mas sim a percepção que têm sobre suas habilidades.

Fonte

Geral
Menina inglesa de 3 anos tem QI superior ao de Einstein

Uma menina britânica de 3 anos registrou um Quociente de Inteligência (QI) superior ao de Albert Einstein ou Stephen Hawking. Ophelia Morgan-Dew, que é capaz de lembrar fatos que lhe aconteceram antes de ter completado 1 ano de idade, tem um QI de 171 pontos.

Ophelia se tornou a pessoa mais jovem do Reino Unido a conseguir entrar na sociedade para superdotados Mensa e se encontra entre 0,03% da população em termos de “poder cerebral”.

De acordo com a mãe de Ophelia, Natalie Morgan, “quando a menina tinha 8 meses de idade, ela começou a dizer as cores, as letras e os números, bem cedo em comparação com a maioria das crianças”, disse a mãe em entrevista à BBC.

Somente quando Ophelia foi para a creche é que seus pais se deram conta da situação. Só queríamos saber como ajudá-la -, explicou Ben, o pai da menina, reconhecendo que não queriam “forçá-la”, mas ao mesmo tempo não queriam que se sentisse “pouco estimulada”.

Apesar de seu alto QI, seus pais asseguraram que Ophelia é uma menina de 3 anos “em muitos outros sentidos: ela gosta de ficar brincando com seus primos, pular em colchões… Coisas normais para uma menina dessa idade”, conta o pai.

“É como falar com uma pessoa de 19 anos, pois ela desenvolve suas próprias ideias”, diz o pai. Apesar disso, o casal só quer que sua filha tenha uma infância feliz. “Ficarei orgulhosa de Ophelia sem importar o que ela decida fazer, desde que esteja feliz”, diz a mãe.

Fonte