Geral
Índia usa plástico retirado dos oceanos para construir estradas

Cada um dos 1,3 bilhão de habitantes da Índia usa uma média de 11 kg de plástico por ano. Depois de ser usado, grande parte deste plástico encontra seu caminho para o Mar Arábico e Oceano Índico, onde pode mutilar e matar peixes, pássaros e outros animais marinhos.

Pescadores no estado de Kerala, sul da Índia, estão lutando para reduzir o nível de resíduos plásticos nos oceanos. Ao jogar as redes na água, retiram enormes quantidades de plástico junto com o peixe. Até pouco tempo, os pescadores simplesmente jogavam o lixo de volta na água.

Em 2017, o ministro da Pesca de Kerala iniciou um esquema para mudar isso. O estado lançou a campanha Mar Limpo, que treina pescadores para coletar o plástico e trazê-lo de volta à costa. Nos primeiros 10 meses, pescadores retiraram 25 toneladas de plástico do mar da Arábia.

Depois de recolhidos pelos pescadores, os resíduos plásticos são separados por pessoas da comunidade local e levados para uma máquina de trituração de plástico. Como muitos dos esquemas de reciclagem de plásticos da Índia, o plástico triturado é usado para revestimento de estradas.

Existem mais de 34.000 km de estradas de plástico na Índia, a maioria em áreas rurais. Esta superfície é cada vez mais popular, pois é mais resistentes ao calor escaldante da Índia. O ponto de fusão para estradas de plástico é de 66 ° C, contra 50° C para estradas convencionais.

O uso de plástico reciclado é uma alternativa mais barata aos aditivos plásticos convencionais para estradas. Cada km de estrada de plástico usa 1 milhão de sacolas plásticas, economizando cerca de uma tonelada de asfalto. Cada km custa cerca de 8% menos que uma estrada convencional.

Estradas de plástico ajudam a criar trabalho. Além das equipes de pesca de Kerala, equipes de catadores de material plástico em terra da Índia coletam o lixo plástico. Eles vendem seu plástico para as muitas pequenas empresas de trituração que surgiram em todo o país.

De acordo com um estudo do Centro Helmholtz de Pesquisa Ambiental, os rios Indo e Ganges carregam a segunda e a sexta maior quantidade de detritos plásticos para o oceano. O Oceano Índico está sufocado com a segunda maior quantidade de plástico de todos os oceanos do mundo.

Este mês, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, prometeu eliminar todo plástico de uso único no país até 2022, começando com uma proibição imediata na cidade de Nova Déli. Nos EUA, cada pessoa gera 10 vezes a quantidade de resíduos plásticos gerados por um indiano, para comparação.

Geral
Anônimo

Anônimo

Hambúrgueres que não são de carne bovina. Das mais de 270 lojas da rede situadas neste país onde a vaca é sagrada, algumas são até completamente vegetarianas!

A culinária indiana, apesar de não usar carne bovina, é muito rica em temperos, molhos e outras carnes. A famosa rede de fast food se valeu desta característica para fazer o cardápio nacional. Vejam alguns exemplos dos lanches de lá:

McAloo Tiki: hambúrguer feito de uma massa de batatas, ervilhas e pimentas, acompanhado de especiarias indianas.


Massala Grill Veg:
hambúrguer vegetariano empanado acompanhado de folhas de louro, pimenta e garam massala (mix típico de especiarias moídas) servido entre pães caramelizados.


McEgg: isso mesmo, um hambúrguer de ovo servido com maionese, cebola e massala.


Chicken Maharaja Mc: é o Big Mac indiano, com dois hambúrgueres (de frango), alface, queijo e molho especial (defumado), cebola, sem picles, num pão com gergelim.


McSpicy Paneer: pão caramelizado, hambúrger de frango, maionese com o famoso tempero tandoori (comumente utilizado em receitas com frango) e queijo paneer.


Filet-O-Fish: hambúrguer de peixe empanado servido com queijo e molho tártaro. Sim, igual ao nosso McFish.

Outros sabores exóticos da mesma rede pelo mundo são o McRice (pães feitos de arroz, em Taiwan), McLobster (hambúrguer de lagosta, nos EUA) e o McShawarma, que é uma variação do lanche judeu kosher, que obedece aos severos preceitos como utilizar mamíferos e aves preparados de uma maneira especial, que não tenham sofrido durante o abate, sem derivados de leite (substituído por produtos de origem vegetal) e tampouco bacon.

Fotos: divulgação