Geral
Anônimo

Anônimo

Atualmente o termo correto é homossexualidade. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), ela não é uma doença, portanto, não há o que curar. No Brasil, desde que os conselhos de psicologia retiraram a homossexualidade da lista de distúrbios psicológicos, é proibida qualquer iniciativa de reversão da homossexualidade e os profissionais envolvidos nestes tipos de "tratamento" estão sujeitos a processo nos seus respectivos conselhos regionais de psicologia, correndo o risco de perderem o direito de trabalhar na área.

Geral
Anônimo

Anônimo

Poucos. Na Roma antiga, a homossexualidade masculina era extremamente comum e com as mais diversas finalidades. Mas a diversão carnal (homo ou hétero) era vista como algo de direito masculino, sendo privado das mulheres (temos resquícios dessa mentalidade até hoje) sendo comum a máxima "com homens para diversão, com mulheres para reprodução". Portanto, lesbianismo não era visto com bons olhos pelo Império Romano. E, mesmo não sendo preconceitualizado em outras sociedades, ainda assim existem poucos registros em decorrência do descaso geral com que a história tratou as mulheres. Mas que existia, claro, existia. A própria Roma antiga tem registro de um homem que matou a esposa ao encontrá-la na cama com outra. Todavia, o primeiro texto poético que sugere a atração entre mulheres data de 2300 a.C. e é de autoria da princesa e sacerdotisa da Acádia - Enheduanna. Se tratam de hinos em louvor à deusa da guerra Inanna, nos quais a sensualidade da deusa é fortemente ressaltada, chegando a chama-la de "esposa". 


Deusa Inanna

Um texto do antigo Egito se refere a um feitiço de amor feito por uma mulher chamada Sarapias com a finalidade de seduzir outra mulher - Herais. De acordo com algumas lendas, o deus hindu Ganesha é fruto de uma relação entre duas deusas. 

Ganesha

O código de Hamurábi (monolito mesopotâmico de cerca de 1.700 a.C. que é o primeiro registro de um código de leis) menciona uma figura chamada "salzikrum", descrita como uma mulher masculinizada que podia ter várias esposas, direito de hereditariedade e que provavelmente nunca teve filhos. O próprio nome do personagem significa "filha-macho". 

Na China, era normal casais femininos onde elas se relacionavam como marido e mulher, sendo que a prática tinha até um nome distinto: dui shi.Além de registros de tribos primitivas onde a relação entre mulheres era comum, quando não exclusiva.

Mas quem marcou essa história foi a poetisa grega Safos, que, a cerca de 600 a.C., registrou abertamente seus desejos sexuais também por pessoas do mesmo sexo. Sua poesia erótica e política rendeu-lhe polêmicas antes e depois da morte, tendo seus textos queimados no Império Romano. Ela também é a responsável pelo termo "lésbica" - a poetisa nasceu na ilha de Lesbos.

Safos, poetisa grega de 600 a.C