Geral
Anônimo

Anônimo

Estes pronomes pejorativos para homens e mulheres homossexuais, utilizados apenas no Brasil, surgiram das seguintes formas:

Sapatão: embora o Chacrinha tenha ajudado muito na popularização do termo com a música "Maria Sapatão", este apelido nasceu na década de 70 pela observação de que algumas lésbicas, descartando os delicados calçados femininos, optavam por sapatos masculinos. Como era muito difícil um sapato masculino de número baixo, acabavam ficando com sapatos proporcionalmente muito grandes. Eram as chamadas "sapatões". 

Veado: este já envolve o comportamento do animal mesmo. Na época de acasalamento, os machos produzem muito esperma. Todavia, não são todos que conseguem acasalar. Daí eles precisam se livrar do sêmem acumulado nos testículos e (como não têm preconceitos como os humanos) montam uns nos outros, formando verdadeiros trenzinhos. Acontece que, mesmo após o coito, muitos machos acabam criando laços afetivos e convivendo como um casal. Somando isso aos trejeitos delicados e graciosos do animal, o apelido foi vinculado à imagem do homem gay. 


É importante lembrar que o comportamento homossexual no reino animal não é exlusividade dos veados. Em um estudo do pesquisador, Bruce Bagemihl, feito em 1999, foi identificado comportamento homossexual em aproximadamente 1.500 espécies de animais, indo de mamíferos a vermes intestinais.