Sexo
O índice de homossexualidade é maior entre homofóbicos, diz estudo.

A constatação de que há mais gays entre os homofóbicos do que entre as pessoas normais é do Departamento de Psicologia da Universidade da Georgia, nos Estados Unidos.

A pesquisa foi feita através de um exame de pletismografia peniana, onde é possível medir a excitação sexual do homem, diferenciando as outras excitações, como nervosismo ou ansiedade, porque mede especificamente a circulação sanguínea e circunferência do pênis em tempo real.


Com o aparelho instalado na piroca, os voluntários assistiram a três vídeos eróticos com 4 minutos cada. Um vídeo representando o com sexo heterossexual, um representando o sexo lésbico e outro representando o sexo gay masculino.

Ao visualizar o sexo lésbico e o sexo heterossexual, tanto homofóbicos quanto os não homofóbicos mostraram aumento na circunferência peniana. Mas quando foi exibido o sexo gay masculino, somente os homens homofóbicos mostraram excitação.

Quando questionados, esses héteros homofóbicos relataram que não sentiam nenhum tesão em sexo gay. Mas seus pênis relataram o contrário.


O magnata Donald Trump

Em poucas palavras, homens homofóbicos foram os mais sexualmente excitados quando expostos ao pornô gay.

Os pastores Bianca Toledo e Felipe Heiderich
Os pastores Bianca toledo e Felipe Heiderich

Você pode estar tentado a usar este estudo para dizer por aí que "os homofóbicos são bichas enrustida que não tem coragem de sair do armário e por isso odeiam os LGBT", mas talvez o resultado mostre um buraco que fica bem mais embaixo.

A homofobia é um desvio de personalidade que nasce da opressão familiar e social que precisa ser tratada.

O homossexual que nasce em um círculo social e familiar que prega e ensina que a homossexualidade (que não é uma escolha) é errada, muitas vezes prefere se adequar às regras familiares. Esta opressão faz com que o indivíduo sinta ódio do próprio desejo.


O deputado Jair Bolsonaro

É assim que nasce a abominação ao comportamento homossexual. Acredita-se que aquilo é errado, fazendo com que o indivíduo se esforce a cada instante lutando contra este "defeito", nele mesmo e na sociedade.


O pastor Silas Malafaia

Este estudo não é exatamente recente, foi feito em 2014, mas deve ser lembrado pelo seu caráter de importância. Vale lembrar também que as imagens que usei neste post são meramente ilustrativas. Escolhi personalidades que na minha opinião, representam o retrato da homofobia. Mas obviamente, não foram eles os voluntários do estudo.

FONTES: 1 e 2