Instagram

Você está sempre solteiro(a)? Uma mutação no gene do receptor de serotonina 5-HT1A pode influenciar as perspectivas românticas de uma pessoa, segundo estudo feito com 579 universitários chineses.

Muitos fatores podem influenciar quando uma pessoa está para se apaixonar: sociológicos e psicológicos, demografia, aparência externa, personalidade, mas segundo o professor Zhou Xiaolin, da Universidade de Pequim, fatores genéticos também.

“Comportamentos relacionados ao amor, como pareamento e afiliação afetiva, estão associados aos níveis de serotonina no cérebro. Em animais não humanos, a diminuição dos níveis de serotonina diminui a receptividade sexual feminina e induz a agressão em relação aos machos ”, disse o professor Zhou.

O professor Zhou e seu grupo mostraram que o genótipo C-1019C (CC) do receptor de serotonina 5-HT1A está associado a relacionamentos mais seguros. Observando que os níveis de serotonina foram documentados para influenciar as relações humanas, o grupo de pesquisa levantou a hipótese de que seria mais fácil para os portadores de CC desenvolver e manter relacionamentos próximos com os outros, tornando-os mais propensos a estar em um relacionamento.

Para testar sua hipótese, eles compararam o status da relação de estudantes chineses expressando diferentes versões do gene 5-HT1A. Descobriram então que, enquanto 50,4% dos indivíduos portadores do genótipo CC estavam em relacionamentos, apenas 39% daqueles com os polimorfismos CG ou GG estavam namorando no momento do estudo.

“49,6% dos portadores de CC e 61% dos portadores de CG ou GG são solteiros. Ou seja, os portadores de alelo G têm 23% mais chances de serem solteiros do que outros indivíduos”, disse o Prof. Zhou.

Fonte

Geral
Leonardo Manzi

Leonardo Manzi

UPDATE EM 09/07/2014: Parece que os ruivos serão extintos sim.
Nem as ruivas e nem os ruivos irão desaparecer. Ufa!!!

Surgiram alguns boatos na internet de que isso aconteceria. Inclusive, esses boatos citam um ~estudo~ do Oxford Hair Foundation, um suposto centro de pesquisas genéticas. Este instituto, além de nunca ter publicado um estudo sobre o assunto, trata-se de um laboratório financiado pela Proctor & Gamble, fabricante de inúmeros produtos de beleza, incluindo tinta para cabelos.Mas agora parece que a porra ficou séria.

A ideia dessas teorias é que os genes que geram essas características, por serem recessivos, desapareceriam com o tempo, mas vários especialistas afirmam que essa informação é falsa.

Vida longa aos ruivos!!!

Instagram

Segundo estudo da Universidade de Edimburgo e da Universidade Ludwig Maximilians, em Munique, indivíduos com uma variação de um gene conhecido como ABCC9 precisavam de mais tempo de sono do que a média de oito horas

Os pesquisadores analisaram como o gene funciona nas moscas da fruta, que também o possuem e descobriram que aquelas sem o gene ABCC9 dormiam por três horas a menos do que o normal. O gene ABCC9 está envolvido na detecção dos níveis de energia das células do corpo.

Em outro estudo, publicado na revista Molecular Psychiatry, feito com 10.000 pessoas de toda a Europa, foi concluído que, aqueles com o gene ABCC9 precisam de cerca de 30 minutos a mais de sono por noite do que aqueles sem o gene.

Fonte