Interessantech
Jr Assis

Jr Assis

Um dos principais motivos (além da possibilidade de você realmente ser feio) é a lente da câmera.

As câmeras portáteis, comumente usadas, possuem lentes com distâncias focais muito pequenas que, por sua vez, acabam distorcendo a imagem, dilatando-a. Por isso o rosto acaba ficando desarmonioso, até mesmo retorcido.

Não entendeu? A gente desenha:

Ilustração Exclusiva: Dnepwu

Outro ponto a ser levado em conta é a “plasticidade” da foto: a iluminação pode não ser favorável, a sua expressão na hora pode não ajudar e o ângulo escolhido pode não ter sido um dos melhores.

Além disso, quando o nosso cérebro analisa uma foto, imediatamente já recorda de outras imagens anteriormente vistas - inclusive dos supermodelos photoshopados das revistas. Aí a concorrência fica difícil, né?

Encontrou o gif oculto?


Geral
Stairway to heaven: a cada dois anos, as estrelas se alinham com a estrada na Alemanha e parecem te levar ao céu

A letra da música Stairway to heaven, provavelmente a música mais famosa da banda Led Zepelin, fala sobre uma garota que "buscava uma escada para o céu". Na ilha de Sylt, no litoral alemão do mar do Norte, as estrelas da Via Láctea se alinham com uma estrada a cada dois anos e parecem criar um "caminho para o céu", assim como na letra da música da banda inglesa dos anos 1970. A foto é motivo de muita controvérsia na Internet - durante muito tempo, pensava-se que a foto havia sido tirada no litoral da Irlanda.

Quem esclareceu a polêmica foi Thomas Zimmer, autor da foto, em seu blog: “Em 2012, eu estava na costa oeste da ilha de Sylt, no Mar do Norte, entre 16h às 20h. Em novembro, o pôr do sol era às 16h30. Estava frio e um vento forte soprava do mar. Fiz várias fotos ótimas antes do anoitecer. Não havia lua e, em seguida, a Via Láctea surgiu em seu esplendor. Fotografei até os dedos congelarem – fui tonto e havia esquecido minhas luvas naquele dia. Decidi ir embora, a bateria da câmera estava quase acabando, eu estava com fome e com frio.

Guardei o equipamento e voltei para o carro, numa longa caminhada no escuro. Andei pela areia e desci as escadas de madeira da praia. Resolvi dar uma última olhada para trás e uma vista incrível apareceu: a Via Láctea estava bem acima das escadas. Exausto e com frio, quase desisti, mas fiz um esforço e tentei uma última foto. A foto era boa, mas faltava algo. Tentei iluminar as escadas com a lanterna. Ficou melhor, mas ainda não estava perfeito. Faltava uma pessoa na foto. Não havia sequer uma alma em quilômetros ao redor, eu estava completamente sozinho.

Configurei o disparador automático da câmera e subi as escadas com a lanterna acesa. No topo, eu apaguei a luz e tentei ficar parado por 30 segundos, o tempo de exposição. Não percebi que o obturador abriu enquanto eu estava correndo com a lanterna acesa. A foto final ficou apenas com os últimos degraus iluminados. Mais tarde, já no quarto do hotel, notei meu “erro”. A luz faz com que o observador olhe para a pequena pessoa sob as estrelas. Ali, eu percebi que tinha conseguido uma foto especial”.

Fonte