Geral
Anônimo

Anônimo

Se for verdade eu estou te respondendo essa pergunta do além! É mentira, pode comer!

Na verdade é muito melhor que isso, não existe hora boa ou hora ruim para comer frutas! É claro que você não irá encher o estômago de banana atrás de banana poucos minutos antes de dormir, né? Assim como qualquer má alimentação antes de se deitar, a digestão pode ser afetada. E se você quiser ficar ainda mais feliz com essa notícia, os carboidratos presentes na banana ajudam na produção de serotonina, a substância responsável pela regulação do sono. Além de saudável, a fruta pode ainda te ajudar a pregar os olhos na hora de dormir.

Geral
Geraldo Campelo

Geraldo Campelo

Claro. Quando dormimos os olhos não se fecham apenas para ficar escuro. Dormir deixa nossos músculos tão relaxados que as pálpebras descem naturalmente. Aliás, a maioria dos cegos não vê simplesmente um escuro constante. Muitos possuem apenas uma baixíssima porcentagem de visão que não os permite distinguir as coisas. 

Instagram

Estudo publicado no Journal of American Heart Association, e citado pelo The Guardian, revela que as que pessoas que dormem cerca de 10 horas por dia têm mais 30% de probabilidade de morrer mais cedo do que aquelas que dormem oito horas.

Como se a probabilidade maior de morte não bastasse, quem permanecer na cama mais de 10 horas também está exposto a mais riscos: 56% de probabilidade de morrerem de acidente vascular cerebral e 49% o risco de morte por doença cardiovascular.

Em contraposição, "dormir pouco" ou "dormir mal" está, segundo o estudo, associado a um aumento de 44% de probabilidade de uma doença coronária. Ou seja, prejudica a performance dos vasos sanguíneos, que estão encarregues de transportar o sangue.

Os especialistas, das universidades de Keele, Leeds, Manchester e East Anglia, analisaram dados de 74 estudos, que envolvem mais de três milhões de pessoas. Tendo em conta os resultados, os investigadores alertam os médicos para terem mais atenção aos hábitos de sono dos pacientes.

O sono anormal é um marcador de risco cardiovascular elevado, por isso devem analisar-se com cuidado a duração e a qualidade do sono dos pacientes.", disse o líder da investigação, Chun Shing Kwok.

No estudo são ainda descrito os fatores que influenciam os hábitos de sono. Há influências culturais, sociais, psicológicas, comportamentais, fisiopatológicas e ambientais no nosso sono, como a necessidade de cuidar de crianças ou membros da família, padrões irregulares dos turnos de trabalho, doenças físicas ou mentais.

Fonte