Geral
Daniel Cunha

Daniel Cunha

Para responder esta, consultamos o médico que nos auxilia em algumas perguntas específicas e até isso ele respondeu:

"A letra corrida se deve à nossa rotina. São dezenas de atendimentos diários, escrevendo receituário atrás de receituário sempre tentando abreviar o máximo o tempo de espera. E, com o tempo, o número de pacientes aumenta. Muitas vezes o nome do medicamento é incomum e usamos jargões técnicos rotineiros para profissionais da saúde, mas que o paciente não entende."

Felizmente, a cada dia que passa, mais hospitais e consultórios aderem a sistemas mais modernos, onde o médico imprime e depois só assina o receituário.