Geral
Anônimo

Anônimo

Fora da lei você não estará. Mas fora da moral, talvez.

No Brasil não é crime comer carne humana. Este tipo de acontecimento é tão raro, que normalmente vem acompanhado de algum agravante que é considerado crime. Por exemplo, você matar alguém para comer é um crime de homicídio, mas não por comer a carne da vítima.

Mesmo que a sociedade possa te julgar fora dos padrões morais, você não estaria cometendo nenhuma ilegalidade, não estaria agindo fora da lei. É o que aconteceu por exemplo em 2012 na cidade de Garanhus, em Pernambuco. Três pessoas foram acusadas de vender coxinhas e empadas feitas com carne humana. De acordo com o delegado, pelo menos oito mulheres foram vítimas do trio, que foram acusados de homicídio, mas não como canibalismo.

Terror
João Biagi Junior

João Biagi Junior

O filé tem um gosto muito bom. Um sabor muito parecido com o da carne de porco, um pouco mais amarga e mais forte.

Calma, nós não fizemos uma sopa de gente para responder a esta pergunta. Esta descrição de sabor foi dada por Armin Meiwes, conhecido como "O Canibal de Rotenburg".

Em março de 2001, Meiwes matou e comeu Bernd Brandes, um alemão que tinha 42 anos e se ofereceu através da internet para o procedimento.

Antes da morte, o canibal decepou o pênis do voluntário e preparou para que ambos comessem juntos. De acordo com Meiwes, Brandes insistiu para que ele arrancasse seu pênis a dentadas, mas como não foi possível, ele teve que usar uma faca. Brandes acabou não conseguindo comer sua porção, pois estava muito dura.

Bernd Brandes à esquerda, ladeado pelo canibal Armin Meiwes

Com exceção do pênis, ele havia pedido para ser desmembrado apenas após perder a consciência, com o uso de remédios para dormir. Assim sendo, Meiwes retirou a cabeça de Brandes com uma faca, pendurou seu corpo em um gancho de açougueiro e começou a fatiá-lo. Tudo foi gravado em vídeo. E não, não vamos postar o link deste vídeo aqui.

Em entrevista, Meiwes disse que salgou o filé de Bernd com sal, pimenta, alho e noz-moscada. Comeu com croquetes princesa, couve de Bruxelas e molho de pimentão verde.

Couve de Bruxelas (Quem mais acha que isso se parece com uma porção de pequenos cérebros verdes? ARGH!

Armin Meiwes manteve o corpo de seu voluntário por meses no freezer e, segundo ele, comeu cerca de 20 quilos da carne durante o período.

Quando a iguaria macabra acabou, o canibal colocou um novo anúncio na internet, mas desta vez foi denunciado por um internauta e condenado à prisão perpétua..

Em 2003, Meiwes disse ao jornal Welt Am Sonntag que "lamentava por seus atos" e incentivou outras pessoas com interesses canibais a procurar tratamento. Ele se tornou vegetariano.

Até hoje a condenação de Meiwes gera polêmica, já que Brendes se ofereceu para o procedimento.

Voltando ao sabor da carne, além Armin Meiwes, outros canibais já deram parecer sobre o sabor da carne humana.

O japonês Issei Sagawa, que matou e comeu uma professora em Paris, comparou a carne humana a atum cru em restaurante de sushi.

O estadunidense Albert Fish, que assassinava e comia crianças, disse que o gosto parecia carne de vitela, tenra e macia.

Já uruguaio Carlos Páez, que foi obrigado a comer carne humana para sobreviver, disse que não sentia gosto algum. Ele foi um dos sobreviventes do acidente aéreo de 1972, que deixou dezenas de pessoas isoladas durante 72 dias nos Andes. Ele e os outros isolados comiam a carne das vítimas fatais em fatias finíssimas e congeladas, como carpaccio.

Foto do desastre aéreo de 1972, publicada na Revista Istoé

Este post possui vários links e vídeos escondidos. Se vc encontrar, não conte a ninguém, apenas diga quantos encontrou nos comentários.