Geral
Anônimo

Anônimo

Teríamos uma visão espetacular daqui do nosso planeta!

Há uma hipótese bastante creditada pela comunidade astronômica de que a Terra já teve um sistema de anéis, mas faz tanto tempo que pouca gente aqui deve lembrar: cerca de 20 a 30 milhões de anos.

De acordo com esta hipótese, nessa época a Terra teria colidido com Theia, um planeta mais ou menos do tamanho de Marte. Após o impacto, Theia teria sido totalmente destruído e suas partículas de poeira teriam ficado presas ao ciclo gravitacional terráqueo, formando uma série de anéis de poeira ao redor da Terra. Com o tempo, essa poeira teria se comprimido e formado uma rocha, que hoje chamamos de Lua. Mas nada pode ser provado.

O ilustrador Ron Miller simulou como veríamos os anéis da Terra:

Equador


Guatemala

Polinésia


Washington


Circulo Polar Ártico

Veja este vídeo que simula os anéis da Terra em outras partes do nosso planeta:

Colaborou: Sidney Alves

Geral
Wedmim Paixão

Wedmim Paixão

Apesar de Júpiter e Netuno também possuírem um sistema de anéis, nenhum deles é tão fascinante e visível como o de Saturno. A origem e a idade deles ainda são um mistério, mas acredita-se que tenham se formado a partir de uma colisão de um cometa ou asteroide com uma das luas do planeta, há cerca de 4 bilhões de anos.


Curiosidades

- Os principais anéis são nomeados com as letras A até G. Mas eles não estão em ordem alfabética e sim, em ordem de descoberta. Sendo assim, a sequência deles é D, C B, A, F, G e E;

- Eles não são sólidos como muitos pensam. São feitos de pedaços flutuantes de água congelada, rochas e poeira;

- Os anéis não são círculos perfeitos. Eles possuem curvaturas provocadas pela gravidade das luas mais próximas.

Colaborou Andrea Vaz

Se vc encontrou o vídeo oculto no post, não conte nada a ninguém, apenas peça "desculpas pelo auê" nos comentários do post.

Geral
Veja 5 curiosidades sobre a 'Lua de sangue'

Eclipse mais longo do século, a “Lua de sangue” terá duração menor nos céus brasileiros nesta sexta-feira (27). Em São Paulo, a fase total do fenômeno durará 34 minutos; no Rio de Janeiro, levará 47 minutos. Isso porque quando a lua chegar aos céus de de nossas cidades (17h39 em São Paulo e 17h26 no Rio), o eclipse já terá começado. A fase total do eclipse acaba às 18h13. O eclipse total terá visibilidade durante 1 hora e 43 minutos no leste da África e no sudeste da Ásia.

A “Lua de sangue”, por sua vez, nada mais é do que o nome informal que o astro recebe durante esse tipo específico de fenômeno, devido à cor avermelhada que adquire. Isso é resultado da incidência dos raios solares nos gases da atmosfera terrestre. Se nosso planeta não tivesse atmosfera (como é o caso da própria Lua, de Mercúrio e de outros planetas e satélites espaço a fora) esse espetáculo celeste não seria possível. Da mesma forma, a “Lua de sangue” só acontece durante eclipses lunares, totais ou parciais.

O nome “Lua de sangue” também está associado a superstições. No passado, muita gente acreditava que o fenômeno astronômico estava associado a maus presságios, desastres e outros infortúnios. Teorias mais pessimistas ligavam o fenômeno ao fim do mundo. Veja cinco curiosidades sobre o fenômeno astronômico que acontece nesta sexta-feira (27).

1 - A lua vai nascer no meio do eclipse. Imagine uma lua imensa, próxima ao horizonte - e vermelha

2 - Marte estará mais perto da Terra e sob tempestades de areia. Isso deixará o fenômeno mais brilhante

3 - A última vez que Terra e Marte estiveram tão próximos foi em 2003 - cerca de 55 milhões de quilômetros. Tal proximidade só havia ocorrido 60 mil anos atrás

4 - Apesar da proximidade com a última grande oposição, Marte só ficará tão em evidência para os observadores terrestres em 2287, daqui 269 anos

5 - Por que esse será o eclipse mais longo do século? É tudo uma questão de geometria: nesse eclipse a Lua vai passar bem no centro da sombra da Terra.

Fonte