Instagram

Um novo estudo, publicado no Frontiers in Human Neuroscience, um jornal online de carácter científico, mostra que as pessoas que praticam regularmente exercício físico podem reverter os sinais de envelhecimento no cérebro, e a dança é a atividade que tem o efeito mais profundo.

A dança é essencialmente uma atividade social. Ela estimula o diálogo e permite a troca de experiências, o que pode ajudar a superar a timidez e trazer autoestima. O que causa felicidade, faz com que envelheçamos com pensamentos positivos e posturas otimistas em relação a vida.

Isto pode prevenir o surgimento de doenças como a ansiedade e a depressão, que afetam diretamente na saúde física, o que pode acarretar em doenças graves, já que nosso emocional está intimamente ligado ao sistema imunológico.

Fonte

Fonte

Geral
Futebol traz mais tristeza que alegria, aponta estudo

Todo torcedor de futebol já sofreu pelo seu time. Uma derrota de virada, um gol sofrido no último minuto, um título perdido, um rebaixamento. Gritos, choro e até ficar sem dormir são reações comuns a um torcedor fanático. É racional torcer por um time de futebol? De acordo com a ciência, a resposta tende a ser NÃO. No longo prazo, o futebol faz as pessoas menos felizes. Para chegar a essa conclusão, Peter Dolton e George MacKerron, da Universidade de Sussex, usaram estudos sobre a felicidade de britânicos em diferentes momentos da semana.

Eles cruzaram essas informações com dados de todas as partidas de futebol na Inglaterra e Escócia, nas temporadas de 2011 a 2013. A constatação foi que uma vitória do time local tinha efeito positivo, mas escala muito inferior ao efeito negativo de uma derrota. Mais: o efeito positivo da vitória durava bem menos do que o efeito negativo de um revés. Isso porque eles são mais intensos que as emoções de uma vitória. Ou seja, dá para afirmar com certeza que o futebol traz mais tristeza do que alegria.

No caso de quem frequenta estádios constantemente, tanto vitórias quanto derrotas têm impacto significativamente maior sobre a felicidade. Mas o resultado final permanece: essas pessoas sentem mais infelicidade depois de uma derrota do que prazer depois de uma vitória. Com tantas evidências mostrando que o futebol cria mais frustração do que alegria, uma pergunta surge imperiosa: a não ser que seu time seja uma máquina e vença a maioria dos jogos, ir ao estádio ou investir emocionalmente em sua equipe não seria um erro?

Fonte