Instagram

Shelly Gable, psicólogo da Universidade da Califórnia, provou que o tédio corrói o amor. Numa pesquisa realizada com 125 casais, durante 10 semanas, mostrou que os mais felizes e satisfeitos eram os que faziam juntos coisas mais divertidas, saíam para dançar juntos, por exemplo. O motivo é que qualquer sensação de excitação é associada a quem está na aventura com você, mesmo se ele não for a causa da excitação.Continue lendo...

Instagram

Uma pesquisa chamada 'Birth Order and Delinquency' realizada por pesquisadores do MIT, Aarhus University, Northwestern University e University of Florida feita com 2 milhões de crianças americanas e dinamarquesas comprovou que a ordem de nascimento pode afetar problemas disciplinares na escola. Os segundo filhos costumam ser mais arteiros do que os primeiros!

Os pesquisadores chegaram a algumas conclusões:

- É mais provável que o segundo filho do sexo masculino exiba mais delinquência do que o irmão mais velho, enquanto a tendência rebelde no sexo feminino não é tão marcante;

- Não há evidências de que o segundo filho é menos saudável do que o mais velho;

- Não há evidências de que os pais invistam menos na educação do segundo filho.

Em famílias com dois ou mais filhos, em comparação aos primogênitos, os segundo filhos do sexo masculino são 20 a 40% mais propensos a serem chamados a atenção na escola e entram para o sistema de justiça criminal.

Os pesquisadores concluíram que o tempo que os pais passam com o primeiro e segundo filho muitas vezes difere – e pode ser por isso que os comportamentos rebeldes surgem, levando até a delinquência juvenil e mais tarde ao crime. “Consideramos as diferenças na atenção dos pais como um fator potencial de contribuição para as lacunas na delinquência”, disseram os autores do estudo.

Outro estudo realizado por pesquisadores de três instituições - Universidade Federal da Pensilvânia, Universidade do Havaí e Universidade Purdue - garantem que a ordem de nascimento tem grande influência no desenvolvimento da personalidade dos filhos e que os segundo filhos tendem a ser mais rebeldes.

A pesquisa foi feita com 364 crianças e adolescentes entre 7 e 19 anos, e seus pais. Os pesquisadores também analisaram amostras de saliva para medir níveis de testosterona e pediram às crianças que escrevessem um diário relatando suas atividades extra-escolares.

"Segundos filhos se tornam mais aventureiros e independentes ao entrarem na adolescência, enquanto nos primogênitos esses traços são mais estáveis", disse um dos pesquisadores. Os cientistas também concluíram que crianças com aumento mais rápido nos níveis de testosterona durante a puberdade não sofrem tantas influências sociais no desenvolvimento de suas personalidade.

Fonte

Instagram

Sexo é benéfico para a saúde, pesquisas apontam que a pratica pode se relacionar ao bom humor e a uma melhor qualidade de vida. Agora, um estudo feito pela mostrou que a receita para uma vida mais longa é fazer sexo, ou seja, quanto mais transarmos, mais tempo teremos de vida.

Na primeira fase do estudo, 918 homens residentes da aldeia galesa, Caerphilly, com 45 a 59 anos de idade foram entrevistados por pesquisadores ingleses sobre seus hábitos sexuais. Uma década depois, estes mesmos homens responderam a uma série de perguntas sobre a frequência em que transavam.

Os pesquisadores concluíram que, homens que faziam sexo ao menos duas vezes por semana reduziram suas taxas de mortalidade pela metade.

A segunda fase do estudo contou com a participação de 129 mulheres com idades entre 20 e 50 anos. Elas responderam perguntas sobre suas vidas amorosas e o quanto elas estavam satisfeitas.

Após análise biológica, os cientistas descobriram que as mulheres que faziam mais sexo e tinham uma vida amorosa satisfatória, apresentavam maiores telômeros, uma espécie de "capa" que protege os cromossomos, fazendo com que tenhamos um aumento em nossa expectativa de vida.

Por que o sexo prolongaria a vida? Existem múltiplas explicações possíveis segundo os cientistas: sexo frequente significa um relacionamento íntimo. Muitos estudos mostram que laços pessoais próximos aumentam a saúde e prolongam a longevidade.

Fontes 1, 2 e 3

Instagram
Qual a chance de ganhar na Mega da Virada?

0,6% é a possibilidade de a Mega-Sena da Virada ter um único apostador premiado, levando em consideração que o volume de apostas é de 350 milhões de bilhetes, similar ao ocorrido em 2015 e 2016. De acordo com um estudo da Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV EMAp), a probabilidade maior é que o prêmio de R$ 200 milhões seja dividido entre seis ou sete vencedores. Continue lendo...