Geral
Juliana Colevati

Juliana Colevati

Da ideia de que eles podem se amedrontar com a possibilidade do roedor entrar em sua tromba e afetá-lo. Isso não faz sentido, já que a tromba é tão ágil quanto uma mão humana, portanto, com um movimento simples, ele poderia se livrar do rato. Os irmãos da série Then Mythbusters (Os Caçadores de Mitos) testaram a reação com um elefante e concluíram que os paquidermes de fato têm medo de ratos.

Um elefante assustado é plausível, mas a experiência não têm qualquer respaldo científico.

Os elefantes podem se surpreender e até mesmo entrar em pânico diante de um rato - assim como diante de qualquer animal pequeno. Isso pq sua visão é ruim e, acoado por algo que ele não consegue compreender totalmente, pode se sentir ameaçado. O que não configura um pavor distinto por ratos.

Estudos recentes indicam que os grandalhões devem ter medo de uma animal ainda menor: as abelhas. Diante do zumbido de uma espécie de abelha africana (a Apis meliffera scutellata), o elefante africano recua e vocaliza sons que alertam os demais para que façam o mesmo.

Comentários (
0
)