Sexo
Anônimo

Anônimo

Para descansar as mãos dos médicos, que já estavam cansadas de masturbar suas pacientes.

Inventado em meados do século 19, o vibrador era um instrumento médico para a cura da histeria, doença que acometia exclusivamente mulheres. Sintomas como irritabilidade, ansiedade, choro, falta ou excesso de apetite e outros altos e baixos tão conhecidos do público feminino caracterizavam a histeria, doença que a comunidade médica acreditava ser causada por deslocamentos no útero. O tratamento? Massagem no clitóris até a paciente atingir o “paroxismo histérico”, ou em termos atuais, o orgasmo.

Mulheres passaram a lotar os consultórios e os médicos e, de tanto massagear clitóris de pacientes, começaram a ter uma espécie de LER (lesão por esforço repetitivo). Como a necessidade é um dos maiores impulsos humanos, o tratamento “manual” se aperfeiçoou e passou a ser feito com um instrumento – o vibrador!

O The Manipulator foi o primeiro vibrador patenteado da história em 1869, pelo médico norte americano George Taylor. Ele era movido a vapor.

Depois do The Manipulator, vários outros vibradores foram lançados, movidos a manivela, ar comprimido a bateria e a eletricidade.


Modelo Woody, movido a manivela


Modelo Dr. Johansen's, movido a manivela


Modelo Vibro-Life, movido a manivela


Modelo Macaura's Blood Circulator, movido a manivela


Modelo Chas a Cyphers, movido a ar comprimido


Modelo Ash Flash, movido a bateria


Modelo Golden-Glo Vitalator, movido a eletricidade


Modelo Giro-Lator, movido a eletricidade

A medida que foi ganhando conotação sexual, o vibrador adquiriu um ar negativo e ligado à vulgaridade, principalmente por conta do seu uso em filmes pornô.

Só voltou a ser relativamente aceito na década de 60, com a revolução sexual feminina.

Hoje sexólogos e ginecologistas o indicam não para curar uma doença, mas para auxiliar no prazer e na descoberta sexual da mulher.

Há também um caso médico da atualidade em que os vibradores são indicados para homens - mas aqueles que fazem cirurgia para mudança de sexo. Durante vários meses após a cirurgia, quem troca pirok por ppk precisa usar um vibrador periodicamente para que o canal vaginal aberto ali não cicatrize.
Se vc encontrou o vídeo da pirok imaginária que está oculto neste post, não conte a ninguém, apenas comente: "ah, como era grande". Se vc encontrar a música, cante um pedacinho.

--
Clique AQUI e conheça o nosso canal no Youtube. Acabamos de lançar um vídeo que conta a origem dos palavrões. ;-)

Comentários (
0
)