Sexo
O índice de homossexualidade é maior entre homens considerados homofóbicos, mostra estudo.

O estudo foi feito no Departamento de Psicologia da Universidade da Georgia, nos Estados Unidos e constatou isso através de um exame de pletismografia peniana, onde é possível medir a excitação sexual do homem, diferenciando as outras excitações, como nervosismo ou ansiedade, porque mede especificamente a circulação sanguínea e circunferência do pênis em tempo real.

Com o aparelho instalado na piroca, os voluntários assistiram a três vídeos eróticos com 4 minutos cada. Um vídeo representando o com sexo heterossexual, um representando o sexo lésbico e outro representando o sexo gay masculino.

Ao visualizar o sexo lésbico e o sexo heterossexual, tanto homofóbicos quanto os não homofóbicos mostraram aumento na circunferência peniana. Mas quando foi exibido o sexo gay masculino, somente os homens homofóbicos mostraram excitação.

Quando questionados, esses héteros homofóbicos relataram que não sentiam nenhum tesão em sexo gay. Mas seus pênis relataram o contrário.

Em poucas palavras, homens homofóbicos foram os mais sexualmente excitados quando expostos ao pornô gay.

A lógica por trás disso não é tão difícil de compreender. Nasce do ódio a um desejo reprimido.

O homossexual que nasce em um seio familiar e círculo social que prega e ensina que a homossexualidade é errada, muitas vezes prefere se adequar às regras e passa a odiar a homossexualidade. Mas muitas vezes este ódio ultrapassa as barreiras pessoais, o cara passa a temer doentiamente, e até mesmo odiar o comportamento homossexual e PLAU: nasce a homofobia.

Fontes: 1.

Comentários (
0
)