Instagram

Entre 1960 e 1985, o PIB dos países onde o pênis médio é pequeno cresceu mais que o PIB dos países "bem-dotados".

Cada centímetro a menos gera um aumento de 5% a 7% no crescimento econômico segundo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Helsinque (Helsink Center of Economic Research).

Os pesquisadores supõem que, como pênis grande e salário alto contribuem para a autoestima homem, quem não tem o primeiro se esforça mais para conseguir o segundo.

Vale lembrar que a o tamanho médio de um pênis, segundo levantamento britânico feito com 15.521 homens, tem o comprimento flácido de 9,16 centímetros e, esticado, 13,24 centímetros. Já o tamanho médio do órgão sexual masculino ereto é 13,12 centímetros. A circunferência média do pênis flácido é de 9,31 centímetros e ereto 11,66 centímetros.

Fonte

Instagram

A quarta-feira de cinzas é o dia do ano com maior ausência de funcionários, superando a véspera de Ano Novo.

Uma pesquisa feita com 30 mil colaboradores de uma empresa de tecnologia e RH (Pontomais) mostrou que 50% das pessoas que deveriam voltar à labuta não vão trabalhar! Para se ter uma ideia, a véspera de Ano Novo tem falta de 37% dos funcionários, ambas as situações de funcionário que não tem folgas marcadas.

Fonte

Instagram

Você acha que a vida de todo mundo é a maravilha do que é publicado nas redes sociais? Que os influenciadores digitais não passam por perrengues diários? Que seus amigos estão realmente sempre sorrindo como se não houvesse um boleto para ser pago? Uma pesquisa da Kaspersky Lab mostrou que uma em cada dez pessoas distorce a realidade nas redes sociais para se sentir melhor.Continue lendo...

Instagram

Você conhece pessoas que têm respostas para tudo, sempre opinando e tentando mostrar como são mais inteligentes que especialistas de um determinado assunto? Essas pessoas podem ser vítimas do efeito Dunning-Kruger, ou seja, que superestimam suas aptidões sociais e intelectuais.Continue lendo...

Cinema

A estatueta do Oscar, de cerca de 13,5 centímetros de altura e 8,5 quilos, é possivelmente o prêmio mais reconhecido do mundo. E por mais que seja muito cobiçada por celebridades do Cinema e banhada com ouro, não significa que seja realmente valiosa.

Vender uma estatueta do Oscar é praticamente impossível. Isso porque quem tem um Oscar, na verdade, não tem um Oscar. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas emprestam as estatuetas aos ganhadores. Isso acontece desde a década de 1950.

Um vencedor do Oscar não pode vender ou se desfazer de uma estatueta sem primeiro oferecer para venda à Academia por US$ 1 dólar. E as regras não se aplicam apenas ao vencedor, mas também a seus herdeiros e a qualquer um que de alguma forma adquiriu um Oscar.

Caso você coloque as mãos em uma estatueta do Oscar cunhada antes de 1950, a sorte sorriu para você. Embora a Academia tenha mudado as regras em 1950 para restringir a venda do Oscar, não havia regras antes disso. E mais de 150 desses primeiros prêmios foram para leilão.

Um dos maiores pagamentos foi a venda do Oscar de Melhor Filme de 1940 por 'E o vento levou'. O rei do pop, Michael Jackson, conseguiu a estatueta em um leilão em 1999 por meros US$ 1,54 milhão.

Não são apenas as grandes categorias que podem ganhar muito dinheiro. O Oscar de 1942 de Melhor Roteiro para o 'Cidadão Kane' foi vendido em um leilão na Califórnia em 2011 por surpreendentes US$ 861.542, segundo a Reuters. Até mesmo um Oscar de Melhor Gravação de Som - oferecido em 1942 pelo Yankee Doodle Dandy - foi vendido em leilão em 2011 por US$ 89.625.

Ganhar um Oscar aumenta os ganhos na carreira? Para os homens, ganhar uma estatueta pode fornecer um grande impulso para seu futuro potencial de ganhos, de acordo com um estudo realizado em 2010 pelos pesquisadores da Universidade Colgate. Segundo a pesquisa, os atores masculinos vêem um aumento de 81% no salário depois de ganhar um Oscar - cerca de US$ 3,9 milhões.

Mas a recompensa não foi tão clara para as mulheres. Na melhor das hipóteses, ganhar um Oscar de Melhor Atriz valeu até US$ 500.000, segundo o estudo.

Fonte

Geral

Clique aqui para ler esta TREAD na íntegra.

Instagram

Pesquisadores da Universidade de Iowa descobriram que quem toma um a dois drinks alcoólicos por dia envelhece melhor do que pessoas que não bebem.

Usando dados do Gene Expression Omnibus disponível publicamente, o estudo comparou o DNA de pessoas que não bebiam álcool, bebiam com moderação e bebiam de maneira exagerada. A ideia era saber qual a idade biológica em comparação à idade cronológica destas pessoas. Aos que consomem 1 a 2 bebidas o envelhecimento foi melhor e estavam em boa forma, mas para aqueles que extrapolavam o corpo envelheceu mais rapidamente.

Ou seja, tomar uma ou duas cervejas no happy hour da empresa, ou beber uma taça de vinho em casa, todos os dias, faz bem para a saúde. O ideal é beber depois do trabalho para não estar alcoolizado durante a labuta. Mas atenção, sempre beba com moderação!

#pracegover: Tomar cerveja depois do trabalho faz bem para a saúde, sugere estudo.

Fonte