Geral
Carreira promissora, pilotagem de drone chega a pagar R$ 25 mil/mês nos EUA

Os drones surgiram para uso militar, mas agora os veículos aéreos não tripulados são utilizados para outras atividades: para entregas de compras, para fertilização e irrigação na agricultura e para filmagem de eventos, por exemplo. Um aparelho custa por volta de R$ 8 mil.

Controlados remotamente como um aeromodelo, os drones surgiram no século XIX, mas sua utilização ficou popular no fim do século passado, na área militar: um caso famoso foi o ataque da Força Aérea israelense ao Exército sírio em 1982, durante a guerra entre os dois países.

Por conta da popularização, os drones abrem um campo de trabalho promissor: pilotos treinados para controlar esses aparelhos chegam a ganhar até US$ 100 mil/ano nos EUA, (R$ 25 mil por mês). No Brasil, um profissional do ramo pode ganhar em torno de R$ 8 mil mensais.

Tanto nos EUA quanto no Brasil ainda não existe regulamentação para o uso dos VANT. O uso comercial foi proibido na terra do tio Sam. Já aqui em terras brasileiras, a opção foi por seguir a legislação que rege o uso de aeromodelos.

Ainda não há um curso com regulamentação oficial para quem quer ser piloto. Mas o aquecimento do mercado de drones faz com que algumas empresas forneçam treinamento para quem quer pilotar as aeronaves não tripuladas. O que acha da ideia?

Fonte

Geral
Após décadas de estudo, cientistas desvendam causa dos desaparecimentos no Triângulo das Bermudas

Um dos maiores mistérios da humanidade pode ter sido finalmente desvendado por oceanógrafos britânicos: após uma investigação de décadas, os especialistas descobriram a causa dos desaparecimentos no Triângulo das Bermudas.

O misterioso triângulo de 700.000 metros quadrados, que se estende entre a ponta da Flórida, Porto Rico e Bermuda, fascina o público há 100 anos pelos inúmeros naufrágios na região: pelo menos 50 navios, 20 aeronaves e mais de 1.000 pessoas sucumbiram ao local últimos 500 anos.

Pesquisadores da Universidade de Southampton dizem que os navios estão sendo sugados para o oceano por ondas gigantes, com mais de 30 metros de altura e explicaram sua teoria no documentário do Channel 5 da BBC, The Bermuda Triangle Enigma.

“Há tempestades no sul e no norte, que se juntam. Medimos ondas com mais de 30 metros. Quanto maior o barco, mais danos são causados”, disse Dr. Simon Boxall, líder do estudo ao jornal The Sun.

Embora existam muitas teorias para explicar o fenômeno, os cientistas se concentraram primeiro na hipótese da “onda maluca”, quando uma onda de 18,5 metros foi medida por satélites, no Mar do Norte, em 1995.

Ondas normais (12 metros) têm uma pressão de ruptura de 8,5 psi (libras por polegada quadrada). Navios modernos suportam cerca de 21 psi, mas ondas “malucas” podem ter uma pressão esmagadora de até 140 psi - suficiente para virar até mesmo os navios mais resistentes.

Para o documentário, Dr. Boxall e sua equipe recriaram ondas gigantes usando simuladores internos e construíram um modelo do USS Cyclops para ver o efeito que teria sobre o grande navio. O Cyclops desapareceu no triângulo em 1918 com 309 pessoas a bordo.

“Se você imagina que uma onda “bizarra” pode ter picos nas duas extremidades, não há nada abaixo do barco, então ele se quebra em dois. Se isso acontecer, pode afundar em dois ou três minutos ”, disse Boxall.

O desaparecimento mais recente ocorreu em 2017, quando um avião com quatro pessoas sumiu na região. O grupo passou o Dia das Mães em Porto Rico e voltava para a Flórida quando seu avião gêmeo desapareceu do radar. A busca foi cancelada e nenhum corpo foi encontrado.

Fonte

Geral
As mensagens ocultas nos Kentes, tecidos dos reis Ashanti

A África é rica em símbolos, que foram renegadas pelo ocidente, consideradas primitivas e inferiorizadas pelo eurocentrismo no conhecimento geral. Quem consegue olhar além do preconceito descobre uma riqueza cultural milenar, traduzidas de formas fantásticas como o Kente.

Kente é um tecido tradicional dos povos Ashanti ou Asante, é um dos povos mais imponentes e que conseguiu reunir um império em 1640 através do lendário Osei Tutu - localizado onde hoje reside a atual República de Gana.

Os Ashantis mantinham impressionantes e complexos sistemas de comunicação, como por exemplo a comunicação por tambores entre as vilas. O seu artesanato também ilustrava todos os aforismos, provérbios e conhecimentos do povo através dos Adinkras e dos tecidos conhecidos como Kente.

Ele é um pano real e sagrado akan, usado apenas em tempos de extrema importância e era o pano dos reis. Feito com tiras de seda entrelaçadas com uma textura diferente dos tecidos de algodão. A palavra significa “cesta”, por ter sua produção parecida na época.

Inicialmente esse costume ficou concentrado no povo Ashanti, mas se espalhou por toda África – apesar de ainda ser considerado mais ligado ao povo de Gana. Ele também deixou de ser exclusivo aos suseranos, apesar de ainda estar ligado a ocasiões especiais do povo.

A característica mais fantástica do Kente é que o povo Ashanti construia frases e aforismos com o tecido e todos conseguiam reconhecer os seus significados através dos padrões e das cores utilizadas para o tecido.

PNEU NANKA (exploração)

Símbolo do trabalho forçado é oriundo de um provérbio que fala sobre carregar um fardo pesado, provavelmente utilizado pelas tribos que foram subjulgadas ao redor dos Ashantis.

ADWINASA

De acordo com os anciãos, o criador desse tecido tentou tecer um tecido exclusivo para agradar o Asantehene (rei dos Ashanti). Em seu esforço, ele usou todos os motivos conhecidos pelos tecelões para tecer um tecido. Por isso significa: Todos os motivos esgotados.

OBAAKOFO MMU HOMEM

“Uma pessoa não governa uma nação” . Esse Kente expressa o sistema Akan de governança baseado na democracia participativa, lembrando também dos funcionários reais que ajudam os governantes a tomar decisões.

APREMO (Canon)

Resistência contra a dominação estrangeira, estratégia de guerra suprema. Ele simbolizava as estratégias de luta contra os europeus que utilizavam armas superiores às nações Akan.

WOFRO DUA PA A NA YEPIA WO

Esse padrão expressar o pensamento social Akan, que sustenta que qualquer bom esforço individual merece ser apoiado pela comunidade. Suas palavras significam "aquele que escala uma árvore que vale a pena subir recebe a ajuda merecida".

Esses são apenas alguns Kentes, existem inúmeros espalhados pela África. A produção histórica de uma época racista impediu que muitas pessoas reconhecessem a verdadeira magnitude da África e de seus filhos.

Fontes: 1, 2 e 3

Instagram

Já dizia o ditado popular: "Fazer o bem sem olhar a quem!" e agora comprovado que fazer o bem para outras pessoas faz bem para a saúde, ainda mais se for uma pessoa próxima, segundo estudo da Universidade de Pittsburgh.

Fornecer apoio social a pessoas em necessidade ativa regiões do cérebro ligadas ao cuidado parental (o que está associado a efeitos positivos para a saúde).

Se estiver preocupado com sua saúde, o estudo publicado no jornal científico 'Psychosomatic Medicine: Journal of Biobehavioral Medicine', mostrou que é mais benéfico ajudar algum conhecido do que uma instituição de caridade.

Para chegar à conclusão, o estudo foi dividido em duas etapas. Na primeira, 45 voluntários precisavam escolher entre auxiliar uma pessoa próxima que necessitava de dinheiro, fazer doações para a caridade ou realizar ações em benefício próprio. Os participantes se sentiram mais conectados socialmente e consideraram que o apoio era mais eficaz quando destinado a um conhecido.

Em seguida, os participantes passaram por uma avaliação emocional (com uso de ressonância magnética funcional) para avaliar a ativação de áreas específicas do cérebro ao fornecer apoio social. Independentemente de quem ajudaram, as atitudes positivas foram relacionadas ao aumento da ativação do estriado ventral e da área septal, regiões anteriormente ligadas a comportamentos de cuidado parental em animais.

No entanto, a área septal ficou mais ativa quando as pessoas forneciam o apoio direcionado a alguém, resultando em uma redução na atividade da amígdala, que tem relação com o sentimento de medo e estresse.

Na segunda parte do experimento, 382 participantes forneceram informações sobre o seu comportamento em relação às atitudes de apoio, sendo submetidos a uma tarefa diferente de avaliação emocional com varredura funcional por ressonância magnética.

Mais uma vez, aqueles que relataram dar apoio mais direcionado aos outros também apresentaram uma redução na atividade na amígdala. Em ambos os casos, dar suporte não direcionado (como doação para caridade) não se relacionou à redução das atividades da amígdala. "Os seres humanos aproveitam as conexões sociais e se beneficiam quando agem a serviço do bem-estar dos outros", segundo os autores Tristen Inagak e Lauren Ross, da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Fonte

Geral
Brasileiro conclui doutorado em Iron Maiden

Num momento no qual o rock, aparentemente, está em queda de popularidade, uma tese sobre Iron Maiden fez sucesso numa conferência internacional sobre o tema. Mais do que isso: o estudo foi apresentado por um professor brasileiro.

O brasileiro Lauro Meller é "doutor" em Iron Maiden e fez uma palestra concorrida sobre as letras da banda na Modern Heavy Metal Conference, em Helsinque, Finlândia. O evento reuniu diversos acadêmicos do mundo inteiro para falar sobre vários aspectos heavy metal.

Meller, paraibano de 44 anos, é professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e tem trabalho inédito sobre a banda. O estudo analisa 18 canções que, baseadas em fatos ou personagens históricos, proporcionam uma viagem no tempo - da Pré-História à Guerra do Golfo.

"Primeiro, apresento o episódio que inspirou cada canção, como uma aula de História. Em seguida, comento como a letra retomou tal conteúdo, com maior ou menor distanciamento dos registros históricos, pois os artistas têm têm liberdade para criar em cima da realidade", contou Meller à BBC.

O professor paraibano é graduado em Letras e tem Pós-Doutorado pelo Institute of Popular Music da Universidade de Liverpool. Meller ainda mostra como melodias, arranjos, técnicas vocais, riffs de guitarra, entre outros ingredientes, potencializam a mensagem de cada canção.

Fonte

Geral
Veja ex-professores famosos e outras curiosidades sobre o Dia do Professor

O dia dos professores é comemorado em 15 de outubro por conta de um decreto de Dom Pedro I, publicado em 1827, criando o ensino fundamental no Brasil - o dia é consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila.

Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.

Isso começou em uma escola de SP, o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. Só havia 10 dias de férias no segundo semestre e quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa e para confraternização.

O professor Salomão Becker sugeriu que isso fosse feito no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização.

Com os professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a ideia estava lançada, para depois crescer e implantar-se por todo o Brasil. A celebração foi oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14/10/1963.

Confira 5 famosos que foram professores antes de brilhar em outras carreiras

Fernanda Montenegro
No início da carreira de atriz, Fernanda Montenegro reforçava o orçamento dando aulas de Língua Portuguesa para estrangeiros.

Barack Obama
O ex-presidente dos EUA América ensinou Direito Constitucional na Universidade de Chicago. Ele foi professor de 1992 a 1996 e professor Sênior entre 1996 e 2004.

Renato Russo
O vocalista e líder da banda Legião Urbana foi professor de Inglês entre 1978 e 1981 em Brasília e era bastante requisitado na capital federal pelos pais, para que ensinasse a seus filhos

J.K. Rowling
Antes de ser globalmente conhecida por conta dos livros da série Harry Potter, a escritora inglesa deu aulas da sua língua materna em Portugal

Fátima Bernardes
Apresentadora do Jornal Nacional entre 1998 e 2011, Fátima cursou Dança junto com a faculdade de Jornalismo e por muito tempo teve sérias dúvidas entre os palcos e os estúdios. Antes da fama na TV, ela deu aulas de balé.

Fonte

Instagram

O despertador toca, um familiar chama, o despertador toca novamente e você não sai da cama! Enrola, enrola e enrola. Caso você já tenha sido chamado de preguiçoso por postergar sua saída da cama várias vezes pela manhã, é hora de se orgulhar, segundo estudo feito pelos psicólogos Satoshi Kanazawa e Kaja Perina, do departamento de psicologia da Universidade College London, na Inglaterra, esse hábito é, na verdade, sinal de inteligência e criatividade.Continue lendo...