Instagram

Pesquisadores de um estudo publicado na revista científica Plos One concluíram, depois de observar 8 mil homens que viveram entre 1900 e 1916 na ilha de Oahu, no Havaí, que o gene FOXO3 que favorece a longevidade foi encontrado com mais frequência em baixinhos (abaixo de 1,6 metro de altura). O gene FOXO3 também produz menos insulina, fazendo com que a incidência de câncer seja menor.

Pesquisadores da Albert Einstein College of Medicine estudaram cerca de 145 mil mulheres e "confirmam a associação de altura com risco de todos os tipos de câncer”. Ou seja, pessoas mais altas são mais propensas a desenvolverem qualquer tipo de câncer.

Fontes: 1 e 2

Instagram

Você sabia que a depressão já é a doença mais incapacitante do mundo e afeta no Brasil mais de 11 milhões de pessoas? De acordo com as últimas estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 300 milhões de pessoas vivem com depressão.Continue lendo...

Instagram

Estudo da Universidade do Estado da Flórida (FSU) concluiu que lavar a louça pode ajudar a aliviar o estresse do dia a dia. A tarefa não pode ser concluída com pressa, nem deve ter auxílio da máquina de lavar louças.

A pesquisa da FSU foi feita com 51 estudantes, divididos em dois grupos: no primeiro, o participantes leram um trecho sobre atenção plena indicando a prestarem atenção em cada ato de suas vidas (proposta do mindfulness), em seguida, submetidos à tarefa. Enquanto o outro, foi encarregado de apenas lavar a louça.

Os resultados mostraram que aqueles que tiveram um ritual precedente, reduziram os níveis de estresse em 27%, e as boas inspirações cresceram 25%. Já os que não foram convidados a ler a passagem, não sofreram nenhuma alteração mental ou comportamental.

Segundo os cientistas, os beneficiados estavam pensando apenas em lavar a louça, o que significa estar totalmente focado no momento. Dessa forma, não houve descarrego de estresse durante a limpeza.

A intenção da pesquisa é observar como as atividades do dia a dia podem ser feitas a partir dos princípios de mindfulness e assim obter vantagens. Apesar de ser uma pequena descoberta, novos ângulos sobre como encarar as responsabilidades domésticas com foco, intensão e cuidado podem reduzir a tensão e os problemas psicológicos.

Fonte

Instagram

Pesquisa publicada na revista científica Animal Cognition mostrou que a inteligência dos galináceos (galinhas e galos) têm uma capacidade mental maior que de crianças

As galinhas são muito boas na arte da enganação, dizem os pesquisadores: os galos chamam as galinhas para comer mesmo quando não há comida, apenas para atrair as fêmeas. Quando estão na época de acasalamento, os galos também costumam cantar bem baixinho quando há outros galos por perto, para não avisar os rivais que há galinhas por perto.

Essa tática de manipulação social, também chamada de Inteligência Maquiavélica, só é comum em algumas poucas espécies de mamíferos, incluindo primatas.

As galinhas também entendem de números. Os pintinhos de até 5 dias de idade entendem quantidades, assim como soma e subtração. Muitos animais entendem tempo, mas as galinhas conseguem fazer viagem no tempo mental, lembrando de coisas do passado e pensando no futuro.

Galinhas usam pelo menos 24 formas de se comunicar com a voz, e várias outras formas de comunicação visual.

No que os cientistas chamam de comunicação referencial, eles explicam que outros animais como macacos e outras aves se comunicam de jeitos diferentes dependendo da situação, e se referem a diferentes. As galinhas fazem isso também. Elas tem uma voz de alarme para predadores voadoras e outra para predadores terrestres.

Fonte

Instagram

Estudo mostra que cantar diminui em 96% a sensação de estresse e de isolamento nos trabalhadores.

Acadêmicos da Universidade de Leicester, no Reino Unido, questionaram 1.000 indivíduos de diversas profissões e empresas sobre as exigências laborais a que estavam sujeitos, do seu humor e nível de socialização.

A professora Joanna Foster, líder do estudo, disse que "Cantar em grupo tem um efeito positivo na saúde e na produtividade no trabalho", e completou: "Cantar é uma atividade divertida e livre. As entidades laborais deviam mesmo incluir grupos de canto nas empresas e encorajar os indivíduos a participarem".

Um estudo anterior, também realizado pela Universidade de Leicester, concluiu que um em cada 20 trabalhadores se sente sobrecarregado no emprego e que um em três não consegue gerir a carga de tarefas que lhe é atribuido.

Fonte

Instagram

Entre 1960 e 1985, o PIB dos países onde o pênis médio é pequeno cresceu mais que o PIB dos países "bem-dotados".

Cada centímetro a menos gera um aumento de 5% a 7% no crescimento econômico segundo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Helsinque (Helsink Center of Economic Research).

Os pesquisadores supõem que, como pênis grande e salário alto contribuem para a autoestima homem, quem não tem o primeiro se esforça mais para conseguir o segundo.

Vale lembrar que a o tamanho médio de um pênis, segundo levantamento britânico feito com 15.521 homens, tem o comprimento flácido de 9,16 centímetros e, esticado, 13,24 centímetros. Já o tamanho médio do órgão sexual masculino ereto é 13,12 centímetros. A circunferência média do pênis flácido é de 9,31 centímetros e ereto 11,66 centímetros.

Fonte

Instagram

A quarta-feira de cinzas é o dia do ano com maior ausência de funcionários, superando a véspera de Ano Novo.

Uma pesquisa feita com 30 mil colaboradores de uma empresa de tecnologia e RH (Pontomais) mostrou que 50% das pessoas que deveriam voltar à labuta não vão trabalhar! Para se ter uma ideia, a véspera de Ano Novo tem falta de 37% dos funcionários, ambas as situações de funcionário que não tem folgas marcadas.

Fonte

Instagram

Você acha que a vida de todo mundo é a maravilha do que é publicado nas redes sociais? Que os influenciadores digitais não passam por perrengues diários? Que seus amigos estão realmente sempre sorrindo como se não houvesse um boleto para ser pago? Uma pesquisa da Kaspersky Lab mostrou que uma em cada dez pessoas distorce a realidade nas redes sociais para se sentir melhor.Continue lendo...

Instagram

Você conhece pessoas que têm respostas para tudo, sempre opinando e tentando mostrar como são mais inteligentes que especialistas de um determinado assunto? Essas pessoas podem ser vítimas do efeito Dunning-Kruger, ou seja, que superestimam suas aptidões sociais e intelectuais.

O efeito Dunning-Kruger é o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados, fazendo com que tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos. É a sua incompetência que os restringe da habilidade de reconhecer os próprios erros. Estas pessoas sofrem de superioridade ilusória.

Por outro lado, a competência real pode enfraquecer a autoconfiança e algumas pessoas muito capacitadas podem sofrer de inferioridade ilusória, achando que não são tão capacitados assim e subestimando as próprias habilidades, chegando a acreditar que outros indivíduos menos capazes também são tão ou mais capazes do que eles. A esse outro fenômeno dá-se o nome de síndrome do impostor.

O mecanismo da ilusão de superioridade foi demonstrado numa série de experiências realizadas por Justin Kruger e David Dunning, pesquisadores da Universidade de Cornell. Os resultados foram publicados no Journal of Personality and Social Psychology. Kruger e Dunning constataram que vários estudos anteriores sugeriam que em habilidades tão distintas como compreensão de leitura, operação de veículos motorizados, e jogar xadrez ou ténis, "a ignorância gera confiança com mais frequência do que o conhecimento".

Quando os pesquisadores pediram que engenheiros de software qualificassem seu próprio trabalho, mais de 30% disseram fazer parte dos 5% melhores da empresa. Segundo outro estudo, 88% dos motoristas norte-americanos afirmam dirigir melhor que a média.

Os que mais tendem a ter melhor ideia sobre si mesmos são, exatamente, os menos capacitados: quanto menos sabemos sobre um tema, mais tendemos a achar que sabemos o suficiente. Já os especialistas tendem a subvalorizar ligeiramente suas aptidões. De fato, em alguns estudos, os mais ignorantes julgavam saber quase tanto quanto esses entendidos.

O problema de uma mente ignorante: uma mente ignorante não é vazia, e sim repleta de ideias preconcebidas, experiências, fatos, intuições, vieses e pressentimentos, além de conceitos que importamos de outras áreas do conhecimento. Com tudo isso, construímos histórias e teorias que nos dão a impressão de serem um conhecimento confiável.

A ideia de que a Terra é plana é um exemplo deste efeito. Algumas pessoas pensam ser possível que a terra seja como um disco de vinil flutuando no espaço, ignorando todas as evidências científicas, contestando com evidências infundadas a verdade absoluta.

Segundo os pesquisadores: "Ninguém está livre desse efeito, por mais esperto que seja. Ou melhor, por mais esperto que acredite ser".

#pracegover: Efeito Dunning-Kruger é o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados, fazendo com que cheguem a resultados indevidos.

Fonte

Cinema

A estatueta do Oscar, de cerca de 13,5 centímetros de altura e 8,5 quilos, é possivelmente o prêmio mais reconhecido do mundo. E por mais que seja muito cobiçada por celebridades do Cinema e banhada com ouro, não significa que seja realmente valiosa.

Vender uma estatueta do Oscar é praticamente impossível. Isso porque quem tem um Oscar, na verdade, não tem um Oscar. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas emprestam as estatuetas aos ganhadores. Isso acontece desde a década de 1950.

Um vencedor do Oscar não pode vender ou se desfazer de uma estatueta sem primeiro oferecer para venda à Academia por US$ 1 dólar. E as regras não se aplicam apenas ao vencedor, mas também a seus herdeiros e a qualquer um que de alguma forma adquiriu um Oscar.

Caso você coloque as mãos em uma estatueta do Oscar cunhada antes de 1950, a sorte sorriu para você. Embora a Academia tenha mudado as regras em 1950 para restringir a venda do Oscar, não havia regras antes disso. E mais de 150 desses primeiros prêmios foram para leilão.

Um dos maiores pagamentos foi a venda do Oscar de Melhor Filme de 1940 por 'E o vento levou'. O rei do pop, Michael Jackson, conseguiu a estatueta em um leilão em 1999 por meros US$ 1,54 milhão.

Não são apenas as grandes categorias que podem ganhar muito dinheiro. O Oscar de 1942 de Melhor Roteiro para o 'Cidadão Kane' foi vendido em um leilão na Califórnia em 2011 por surpreendentes US$ 861.542, segundo a Reuters. Até mesmo um Oscar de Melhor Gravação de Som - oferecido em 1942 pelo Yankee Doodle Dandy - foi vendido em leilão em 2011 por US$ 89.625.

Ganhar um Oscar aumenta os ganhos na carreira? Para os homens, ganhar uma estatueta pode fornecer um grande impulso para seu futuro potencial de ganhos, de acordo com um estudo realizado em 2010 pelos pesquisadores da Universidade Colgate. Segundo a pesquisa, os atores masculinos vêem um aumento de 81% no salário depois de ganhar um Oscar - cerca de US$ 3,9 milhões.

Mas a recompensa não foi tão clara para as mulheres. Na melhor das hipóteses, ganhar um Oscar de Melhor Atriz valeu até US$ 500.000, segundo o estudo.

Fonte