Instagram

"Haja coração!", o bordão do narrador Galvão Bueno para os momentos de tensão nos jogos de futebol é mais intensificado quando chega a Copa do Mundo. Nações tensas contando com triunfos de 23 atletas e muitas vezes em jogos que são verdadeiras batalhas, ainda mais quando os jogos são decisivos, como aqueles da fase de grupos que a "equipe do coração" precisa do resultado para se classificar ou os jogos da fase de mata-mata.

Em 1998, uma pesquisa publicada pelo periódico científico Bristish Medical Journal mostrou que houve um aumento de 25% no número de internações por infarto agudo do miocárdio no dia e nos dois dias seguintes da derrota da seleção da Inglaterra contra a Argentina por 4 a 3 nos pênaltis, depois do placar de 2 a 2 no tempo normal, nas oitavas de final da Copa do Mundo na França.

No Brasil, uma pesquisa feita pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) mostrou que nas últimas quatro edições do torneio antes de 2014, o índice de ataques cardíacos entre pacientes maiores de 35 anos saltou de 4% a 8% em todo o país. Os pesquisadores analisaram os dados dos Sistemas de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS), verificando as hospitalizações e os óbitos ocorridos no período de 1º de maio a 31 de agosto dos anos de 1998, 2002, 2006 e 2010. Eles compararam os índices dos dias sem Copa, dias de Copa sem jogos do Brasil e dias de jogos do Brasil. Apesar de o número de problemas cardiovasculares ter subido durante o campeonato mundial, o de mortes não teve aumento significativo.

Na Alemanha, um estudo publicado no periódico The New England Journal of Medicine, analisou quantos habitantes da Grande Munique foram ao pronto-socorro por problemas do coração de 1º de maio a 8 de junho e de 10 a 31 de julho de 2006 (ano em que a Copa ocorreu nesse país) e compararam com o período de 1º de maio a 31 de julho de 2003 e de 2005. Nos dias em que a Alemanha jogou, os pesquisadores notaram que a procura pelo atendimento de emergência foi 2,5 vezes maior. Eles registraram outro dado interessante: conforme a Alemanha ia avançando na competição, a busca pelo hospital crescia ainda mais.

Fonte

Comentários (
0
)