Instagram

O estudo 'Phone Life Balance' (Motorola), feita em parceria com a psicóloga e especialista em comportamento mente-cérebro Nancy Etcoff, realizado todo ano para investigar o impacto dos dispositivos móveis na vida de seus usuários, revelou que, 41,52% dos participantes assumem serem dependentes de smartphone.

Ainda segundo o estudo, 65% deles confessam entrar em pânico ao pensar em ficar sem o aparelho, 27,7% dos participantes disseram que deixam o celular ao alcance o dia todo e 36,8% deixam o aparelho com a tela virada para cima na mesa quando estão jantando.

Além disso, 30,2% disseram levar o smartphone para o banheiro e 76% contaram que conferem o celular antes de levantar da cama.

A pesquisa fez 10 perguntas que resultaram em 5 diferentes perfis de usuários: telesapien, teleconsciente, teledependente, teléfilo e telefanático.

Teledependente: As perguntas foram respondidas por 20 mil brasileiros, mostrando que 41,52% deles são classificados como teledependentes, ou seja, nunca estão sem utilizar o aparelho. Entre estes participantes, 65% confessam entrar em pânico só de pensar em perder o smartphone; 29% dizem que, quando estão sem celular, ficam pensando na próxima vez em que estarão com ele.

Teleconsciente e telesapien: Já 32% dos participantes do estudo entraram na categoria teleconsciente, aqueles que conseguem equilibrar o uso dos dispositivos, e somente 5,56% estão classificados no perfil telesapien, que utilizam um celular apenas para atividades básicas, como fazer ligações e conferir o horário.

Teléfilo e telefanático: No perfil teléfilo entraram 18,98% dos participantes, aqueles que não conseguem ficar sem o aparelho e ainda sentem ansiedade quando o aparelho está com menos de 10% de bateria. Já no perfil telefanáticos 1,5% dos respondentes que nunca estão sem smartphone e se sentem estressados e vulneráveis sem ele.

Fonte

Comentários (
0
)