Geral
As mensagens ocultas nos Kentes, tecidos dos reis Ashanti

A África é rica em símbolos, que foram renegadas pelo ocidente, consideradas primitivas e inferiorizadas pelo eurocentrismo no conhecimento geral. Quem consegue olhar além do preconceito descobre uma riqueza cultural milenar, traduzidas de formas fantásticas como o Kente. Continue lendo...

Geral
Filhos de mães que trabalham fora são mais felizes, diz estudo americano

Muitas mães se sentem culpadas por trabalhar fora. E a volta da licença-maternidade para o mercado de trabalho é um momento que potencializa isso. Mas um estudo feito pela Universidade de Harvard e Kingston University pode ser o que toda mãe nessa situação precisava para seguir em frente.

Iniciado em 2015, o estudo foi concluído em 2018 e demonstrou que filhos de mães que trabalham fora se tornam adultos tão felizes quanto aqueles cujas mães se dedicaram somente à maternidade. O levantamento contou com a participação de 100 mil homens e mulheres de 29 países.

O estudo tem um outro resultado animador para as mães: ao se tornarem mulheres, as filhas meninas de mães que trabalham fora têm mais chances de conseguir cargos melhores e têm maior nível de escolaridade, porque frequentam a educação formal por mais tempo.

Quando comparadas com mulheres cujas mães ficam em casa, as mulheres criadas por mãe empregada têm 1,21 vezes mais probabilidades de conseguir emprego; 1,29 vezes mais propensas a supervisionar outras pessoas no trabalho, e gastam 44 minutos extras em seus trabalhos por semana.

Elas também ganham mais dinheiro. Entre as mulheres que responderam à pesquisa nos Estados Unidos em 2012, as filhas empregadas de mães que trabalham fora ganharam uma média de US$ 1.880 (R$ 7.500) mais por ano do que as filhas de mães que ficam em casa em período integral.

“Ainda existe a crença de que há prejuízo para os filhos quando suas mães trabalham fora. Por isso, descobrir que o emprego da mãe não afeta a felicidade das crianças na vida adulta é muito importante”, diz a professora Administração de Empresas Kathleen McGinn, de Harvard.

A influência sobre a carreira é sentida apenas pelas filhas adultas - e não filhos - de mães que possuem um emprego. A explicação da professora é que os homens tendem a ser empregados normalmente e, conforme mostram outras pesquisas, suas ocupações e ganhos têm mais a ver com o emprego de seus pais.

Fonte

Geral
A humanidade excedeu os recursos da Terra para 2018

A humanidade já excedeu a utilização de recursos da Terra para 2018. Isso aconteceu no dia 3 de agosto. Ou seja, gastamos 100% dos recursos naturais para uma existência sustentável em apenas 215 dos 365 dias do ano - isso equivale a 58% do ano de 2018.

O dia é "a data em que teremos utilizado todas as árvores, toda a água, o solo fértil e os peixes que a Terra pode nos fornecer em um ano", explica Valérie Gramond do Wild World Fund, que lembrou que este dia chega cada vez mais rápido.

Apesar de especialistas como Ted Nordhaus, fundador do Breaktrough Institute, dizerem que a Terra tem capacidade de suportar mais consumo por meio de engenharia ambiental e social, poucos ecologistas validam essa visão.

O dia 3 de agosto é o mais cedo já registrado desde que teve início a contagem do "Dia da Sobrecarga da Terra", no início dos anos 1970. Na ocasião, os recursos foram esgotados em 29 de dezembro.

"O esgotamento dos recursos se acelerou em razão do consumo excessivo e do desperdício de comida", explicou Valérie, que lembrou que um terço dos alimentos do mundo acaba na lata de lixo. Este desperdício de recursos naturais varia de acordo com os países.

Se a humanidade vivesse como os habitantes do Catar o "Dia da Sobrecarga da Terra" seria registrado em 9 de fevereiro. Em compensação, em um país como o Vietnã, a data só aconteceria em 21 de dezembro. Se o consumo brasileiro fosse o padrão, a data seria 19 de julho.

Fonte

Geral
5 fatos curiosos sobre bebês

O início da vida humana é repleto de fatos curiosos. Por estarem em desenvolvimento, bebês absorvem o mundo ao redor de forma extraordinária. Todos estímulos recebidos contribuem para a formação deles e isso torna os pequenos fascinantes. Veja 5 curiosidades sobre bebês.

1 - Conversar com um bebê faz dele um jovem mais inteligente
Mesmo aparentando não entender o que você diz, bebês absorvem tudo o que ouvem, segundo este
estudo. Bebês que escutam diálogos de adultos têm melhores resultados em testes de inteligência quando adolescentes.

2. O bebê tem sua capacidade de aprendizado potencializada pela música
Escutar música potencializa o aprendizado do bebê, dizem pesquisadores da Universidade de Washington. "Bebês vivenciam um mundo complexo em que sons, luzes e sensações variam constantemente”.

3. Palavras com sons repetitivos são úteis para o bebê
Muitas pessoas mudam o tom de voz para falar com os bebês, usando diminutivos e palavras com repetição de sílabas, como "gugudadá". Conforme estudo publicado no periódico Cognitive Science, a estratégia ajuda o bebê a falar mais cedo.

4. Eles gostam de ouvir as vozes de outros bebês
Segundo pesquisa publicada no Eurekalert, bebês gostam mais de vozes de outros pequenos do que de adultos. Além disso, eles se engajam com maior intensidade ao ouvirem sons de outras crianças e isso ajuda no desenvolvimento comunicativo.

5. Chute do bebê no útero pode ser mais forte do que você imagina
Segundo um estudo realizado pela Imperial College na Inglaterra, bebês podem exercer uma força de quatro quilos ao chutar dentro do útero. A força desse movimento aumenta entre a 20ª e a 30ª semana de gestação.

Portanto, é normal que algumas mães sofram com as dores do chute. Entretanto, o movimento é essencial para que o bebê desenvolva força muscular e óssea. A ação ainda auxilia na formação correta das articulações, prevenindo doenças que possam surgir ao longo de sua vida.

Fonte