Geral
A pessoa que fala mais idiomas no mundo é um peruano de 27 anos, fluente em 22 línguas diferentes

Quem não gostaria de poder falar vários idiomas e chegar em qualquer lugar do mundo tendo uma perfeita comunicação com os habitantes locais? O peruano Luís Rojas-Berscia, de apenas 27 anos, causa inveja em muita gente: o doutorando em linguística no Max Planck Institute (Suiça) fala 22 idiomas.

Saca só: Espanhol, italiano, piemontês, inglês, mandarim, francês, esperanto, português, romeno, quíchua, shawi, aimara, alemão, holandês, catalão, russo, chinês, japonês, coreano, guarani, farsi e sérvio, treze dos quais ele fala fluentemente.

Berscia ainda fala outros seis idiomas clássicos ou ameaçados de extinção: latim, grego antigo, hebraico bíblico, Shiwilu, Muniche e Selk'nam, uma língua indígena da Terra do Fogo, que foi objeto de sua tese de mestrado.

A palavra "hiperpoliglota" foi criada há duas décadas por um linguista britânico, Richard Hudson, ao lançar uma busca na Internet para encontrar o maior aprendiz de idiomas do mundo.

Segundo especialistas, não é apenas uma questão de plasticidade mental (capacidade de aprender): pessoas como Berscia tem uma grande capacidade de sistematizar informações - essa é uma das chaves dos estudos científicos para entender hiperglotas como o peruano.

Mas também há questões genéticas e biológicas envolvidas. Uma dessas peculiaridades já foi descoberta pela neurocientista Sophie Scott: uma quantia extra de substância cinzenta, presente desde o nascimento, no córtex auditivo de alguns foneticistas.

A cientista Evelina Fedorenko resolveu descobrir se a linguagem compartilha mecanismos com outras funções cognitivas. Ela desenvolveu um conjunto de “tarefas de localização”, para serem realizadas em uma máquina de ressonância magnética funcional.

O pedaço do cérebro responsável pela linguagem mostrou-se separado das regiões envolvidas em outras formas de pensamento complexo. “Não usamos, por exemplo, as mesmas partes do nosso cérebro para música e fala, o que parece ser contra-intuitivo”, diz ela.

Fonte

Comentários (
0
)