Cinema
#MeanGirlsDay é hoje e o próximo só acontecerá em 3 de outubro de 2029!

Clique aqui para conferir esta thread no Twitter.

Interessantech
Google realiza competição online para contratar engenheiros de software, saiba como participar

Ao longo do ano, o Google promoveu e está promovendo rodadas independentes do Kickstart, uma competição global online de programação que oferece aos participantes a oportunidade de testar e desenvolver suas habilidades na área e resolver desafios algorítmicos criados pelo time de engenharia do Google. Continue lendo...

Geral
Idosos que cuidam de crianças vivem mais, segundo estudo.

Estudo feito pela Evolution and Human Behavior com 500 idosos entre 70 e 103 anos, concluiu que aqueles que cuidavam dos netos tiveram uma vida mais longa, vivendo cerca de 10 anos depois que o estudo foi feito. Os que não ficavam com crianças, faleceram cinco anos após a pesquisa.

O estudo mostrou que participar da vida dos netos leva a um risco de mortalidade 37% menor, e mesmo quem não tem filhos pode viver um pouco mais cuidando dos outros.

Pesquisadores também acham que o estudo sustenta uma teoria evolutiva chamada 'Hipótese da Vovó', que tenta explicar porque os seres humanos vivem tanto tempo depois de a sua fase fértil acabar. O que não é muito comum na natureza porque, evolutivamente falando, nossa função é a reprodução e a manutenção da espécie, ou seja, os avós que ajudam a cuidar dos filhos mudam esse paradigma. De acordo com os pesquisadores, o convívio com a família, assim como o cuidar, contribui com a saúde física e emocional e com a expectativa de vida do ser humano.

O Dia Internacional do Idoso é comemorado anualmente no dia 1 de outubro. Este dia foi instituído em 1991 pela (ONU) Organização das Nações Unidas e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e da necessidade de proteger e cuidar a população mais idosa. Portanto ajude a vovó ou vovô a ficarem mais tempo com seus netos, é comprovado que faz muito bem para sua vida.

Fontes: 1, 2

Geral
Pesquisadores da USP criam dispositivo que pode tornar as viagens de helicóptero mais seguras e silenciosas

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP desenvolvem um dispositivo para reduzir a vibração produzida pelas pás dos helicópteros. O equipamento converte vibrações em energia elétrica aumentando a vida útil, velocidade, segurança e conforto da aeronave.

“Aeronaves de asas rotativas possuem níveis altos de vibração que causam desconforto e até danos à saúde de seus usuários. A fonte de vibração mais expressiva é a interação entre as pás de seu rotor principal e o ar”, afirma Marcel Clementino, integrante da equipe do projeto.

“Parte dessa vibração é transmitida do rotor principal para a fuselagem através das hastes de comando de passo, conhecidas como pitch links. “Os benefícios proporcionados pela redução dessas vibrações são bem conhecidos e incluem aumentar a vida útil da aeronave, reduzir os custos de manutenção”.

A proposta do projeto é incluir funcionalidades adicionais ao pitch link que, além de proporcionar o controle do comando da aeronave, como ocorre com o rígido tradicional, permitiria reduzir vibração e realizar a coleta de energia.

Chamado de SaPPL, o equipamento é dotado de uma estrutura eletromecânica flexível. O dispositivo possui um material piezelétrico (que atua na transformação da vibração em energia elétrica) chamado Macro Fiber Composite (MFC), acoplado a placas metálicas elásticas e a um circuito eletrônico.

A estrutura transfere os esforços mecânicos entre as pás do helicóptero e sua fuselagem. Ao girar, as pás vibram e essa vibração é transmitida ao pitch link. O dispositivo é capaz de aumentar a dissipação de energia de vibração ou modificar a rigidez efetiva do pitch link.

Fonte