Instagram

O fim de ano no ambiente corporativo traz, além do balanço e relatórios anuais, a "festa da firma" e é nela que tudo pode acontecer. A "tradição" é muitas vezes regada a muita bebida alcoólica e os ânimos e coragens dos funcionários podem alterar no meio da festa.

Segundo pesquisa da empresa One Poll em parceria com o site de planejamento social Evite, um a cada três funcionários faz algo lamentável na #festadafirma.

Bebida, intimidade, brincadeiras - como amigo secreto -, podem fazer o funcionário ser sincero demais em suas palavras e atitudes. Na pesquisa, dois em cada cinco entrevistados relataram ter passado por uma cena vergonhosa na festa do escritório ou ouviram revelações bombásticas sobre colegas.

O levantamento feito em 20 mil escritórios americanos também mostrou que um funcionário ouve, em média, cerca de sete fofocas sobre colegas enquanto está curtindo a festa da firma - algumas delas verdadeiras. Entre os entrevistados, 37% disseram que testemunharam casais de colegas sendo muito afetuosos entre si, coisa que nunca havia acontecido no escritório.

Fonte

Instagram

Você quer comprar algum bem novo? Casa, carro? Quer perder peso, frequentar a academia? Começar uma dieta? Ir a mais shows? Finalizar trabalhos atuais? Não importa quais sejam seus objetivos, para você ter mais chances de realizá-los basta você os escrever regularmente. Fazendo isso, segundo estudo da Dominican University, a chance é 42% maior!

A explicação da pesquisa, que foi feita com 267 pessoas, é que quando você escreve uma meta, em vez de apenas pensar nela, isso ativa uma área mais ampla do cérebro, aumentando assim a chance de você atingi-la.

A responsável pelo estudo Dr. Gail Matthews sugere escrever, em um caderno ou até mesmo no celular, toda manhã seus objetivos relativos a 4 áreas importantes da vida.

-Saúde

-Relacionamentos

-Carreira

-Tempo

Fonte

Instagram

Pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostra que cantar pode aliviar doenças pulmonares. Soltar a voz numa canção, bem ou mal, pode amenizar a falta de ar e a redução do volume de reserva expiratória.

Pesquisadores da USP analisou um grupo de 43 pessoas com doenças respiratórias durante aulas semanais de canto. Após 24 encontros, os participantes apresentaram melhora nos sintomas de falta de ar.

E não foi só com alunos da USP que isso aconteceu! 20 integrantes do coral de Canto que Cura, no Rio de Janeiro, que sofriam com problemas pulmonares, após aulas de canto semanais por 5 meses melhoraram significamente sua condição respiratória. Alguns alunos apresentaram ganho de 200 ml na capacidade pulmonar, com um salto de 46% para 52%.

Fonte

Geral

Sistema ou regime político e filosófico, antiliberal, imperialista e antidemocrático, centrado em um governo de caráter autoritário, representado pela existência de um partido único e pela figura de um ditador, fundado na ideologia de exaltação dos valores da raça e da nação em detrimento do individualismo, como o estabelecido na Itália por Benito Mussolini (1883-1945), em 1922, cujo emblema era, simbolicamente, o fascio, isto é, o feixe de varas dos lictores romanos.

Fonte

Instagram

Segundo estudo da Universidade Carnegie Mellon, nos EUA, o abraço é capaz de prevenir doenças relacionadas ao estress e diminuir as chances de contrair infecções.

Os pesquisadores da universidade, liderados pelo professor de psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da CMU Sheldon Cohen, analisaram 404 adultos saudáveis e, por meio de entrevistas telefônicas realizadas em 14 noites consecutivas, verificaram a frequência de conflitos interpessoais e abraços diários.

Após a fase de questionários, os entrevistados foram expostos intencionalmente ao virus da gripe, colocados em quarentena e passando a ser monitorados para ver se desenvolveriam sinais da doença.

As pessoas que receberam mais abraços e apoio de pessoas de confiança não desenvolveu sintomas da gripe. Outros infectados que mantinham uma maior frequência de abraços tiveram sintomas de gripe menores.

Fonte

Geral

Intervenção militar é um ato caracterizado pela tomada do poder de um país por suas forças armadas em um golpe de Estado, instaurando um regime de ditadura militar. Geralmente é decretado um estado de exceção, regido segundo a lei marcial, sendo formada uma junta militar encabeçada por qualquer das armas, que nomeia um novo presidente (sempre um militar de alta patente) e seus sucessores.

Fonte

Instagram

Podemos afirmar que terror é um gênero que perturba as pessoas? Estudo da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, sugere que assistir filme de terror melhora o humor e traz relaxamento aos espectadores.

A coautora do estudo, Margee Kerr, que estuda o medo a mais de uma década, explica: "Acreditamos que é algo muito semelhante, ao menos em um nível fisiológico e neurológico, à experiência de um atleta numa corrida profissional. Durante o momento de horror, você força seu sistema nervoso autônomo a ficar ligado". A conclusão da pesquisadora é que quando a situação de assustadora acaba, o alívio faz com que uma grande quantidade de endorfina seja liberada no cérebro, o que causa o bem-estar.

A pesquisa foi feita em uma casa "mal-assombrada" chamada "Scarehouse" com 262 participantes que já costumavam se submeter a atividades aterrorizantes por motivos sociais ou recreativos.

Todos os participantes da pesquisa tiveram monitoramento de suas atividades cerebrais com sensores na cabeça antes e depois da experiência aterrorizante. Quando a visita a casa terminou, metade relatou ter melhorado de humor e 33% afirmaram não ter sofrido nenhuma mudança significativa. Outros 17% disseram que o ânimo foi piorado. A maioria das pessoas disse que se sentiu feliz depois de passar pela casa "mal-assombrada" e poucas relataram sentir cansaço e ansiedade.

Fonte

Geral

URSAL (acrônimo para União das Republiquetas Socialistas da América Latina ou União das Repúblicas Socialistas da América Latina) é um termo criado em tom jocoso pela socióloga brasileira Maria Lúcia Victor Barbosa, em 2001, para ironizar as críticas feitas por políticos e intelectuais de esquerda à Área de Livre Comércio das Américas, liderada pelos Estados Unidos. Posteriormente a expressão foi tomada a sério por Olavo de Carvalho e por eleitores da extrema-direita brasileira, ressurgindo no YouTube e em outras mídias como uma teoria da conspiração relacionada a um suposto plano de integração latino-americana engendrado pelo Foro de São Paulo.

Em tom de denúncia, o acrônimo foi retomado em 2018, pelo deputado federal e candidato à presidência, Cabo Daciolo, em referência a uma conspiração em curso para acabar com as soberanias nacionais no continente. Daciolo referiu-se à URSAL quando interrogou Ciro Gomes durante o primeiro debate entre candidatos da eleição presidencial brasileira de 2018, veiculado pela TV Band em 9 de agosto. Segundo ele, a URSAL seria uma federação de países da América Latina e do Caribe com características de um grande bloco de repúblicas socialistas. Na sequência o episódio repercutiu na imprensa brasileira e estrangeira, e ensejou numerosas manifestações nas redes sociais, sobretudo em tom de deboche.

Fonte