Games e Tecnologia
5 coisas que você precisa saber antes de recarregar o cartucho da sua impressora

Quem nunca teve uma impressão interrompida por falha no cartucho que atire a primeira impressora! A última recarga parece que foi ontem, só que o imprevisto sempre acontece. Mas, espera aí: você recarrega ou troca o seu cartucho? Pensar que reabastecê-lo é mais barato e polui menos o ambiente é tão errado quanto desobedecer a mãe. Saiba que um estudo mostrou que cartuchos originais produzem 75% mais páginas do que os remanufaturados, isso significa: economia! Então, leia essa matéria que vamos te contar cinco verdades sobre esse tal cartucho de impressora - e depois você decide se vai recarregar o seu usado ou comprar um novinho.


1- Um cartucho novo funciona tão rápido que você não é capaz de ver

Imagina algo acontecer 36 mil vezes. Não, isso não é a quantidade de filhos que o Mister Catra consegue fazer. É a quantidade de vezes que os injetores de pigmento do cartucho vão até a folha de papel - em um único segundo! Vamos explicar: A tecnologia dos cartuchos e toners conta com, em média, 500 bicos injetores. Cada bico tem, mais ou menos, a espessura de ⅓ de um fio do nosso cabelo. Quando a gente aperta o botãozinho de imprimir do computador, um circuito integrado envia essa informação para esses injetores, pulsos de energia criam uma bolha de ar superaquecida que forçam as gotas microscópicas desse pigmento, através dos injetores, ir para a folha em uma velocidade de quase 50 quilômetros por hora. E isso acontece cerca de 36 mil vezes por segundo na sua impressão. Rapidinho ele, né?


2- Mais da metade dos cartuchos remanufaturados falham
Entre tantas opções, parece até difícil de escolher o melhor cartucho para você. Parece, mas não é… Segundo o estudo desenvolvido pelo Buyers Laboratory LLC (BLI), 56% das impressões feitas com cartuchos remanufaturados falharam, enquanto os originais funcionaram perfeitamente em 100% dos testes. Recarregar é uma cilada, Bino. Parece que vai te fazer economizar, mas pode te atrapalhar bastante. Além disso, para quem quer economia, existe a opção do modelo XL, que rendem até três vezes mais impressão, o melhor custo-benefício.

3- Originais aumentam a vida útil da impressora
Cerca de 1 em cada 10 usuários de toner remanufaturado acabaram com impressoras danificadas. E 26% tiveram downtime por causa de problemas nos cartuchos. Quando se compra os originais, eles vêm calibrados para evitar entupimentos dos bocais e a degradação na qualidade da impressão. Além disso, os cartuchos são testados rigorosamente para garantir resultados claros e nítidos na hora da impressão.


4- Cartuchos coloridos falharam 68%
Tinta colorida sempre foi algo para se economizar. Mas não a hora de decidir se é melhor comprar um cartucho novo. Segundo o estudo, os cartuchos de impressão coloridos produziram 115% mais páginas do que os cartuchos recarregados. Além disso, os cartuchos pretos remanufaturados falharam 44% e os coloridos 68%.

5. Cartuchos usados vão para a reciclagem, sim!
E aí você diz: Mas comprando esse tanto de cartucho vou produzir mais lixo, e o meio ambiente? Há! Saiba que muitas empresas tem um programa de reciclagem para seus produtos! Na HP, por exemplo, funciona assim: Você junta, no mínimo, 5 embalagens vazias de cartucho e/ou toner. Deixa em algum dos pontos de coleta pela cidade. Ou liga no Call Center (0800 710 2025), passa os seus dados e pede o recolhimento do produto em sua casa. Depois de recolhido, tudo é encaminhado para o Centro de Reciclagem da HP Brasil, onde as matérias-primas são processadas e novos cartuchos, peças de impressoras ou segmentos industriais são feitos. Aqui nada se perde, tudo se transforma! Clique aqui para saber mais sobre o Programa de Reciclagem da HP

Nós falamos um pouco mais sobre cartuchos e respondemos outras perguntas sobre tecnologia no vídeo dessa semana no nosso canal no Youtube. Olha:

*Conteúdo patrocinado

Geral
Mayra Santos

Mayra Santos

Devido ao modo em que o creme dental é inserido no tubo.

Após utilizarem misturas com sal de cozinha, pimenta, folhas de menta e até fórmulas baseadas em urina, a indústria dos cremes dentais evoluiu ao ponto de agora podermos comprar pastas de dente estilosas, coloridas, com listras e até com sabores diferentes.

No caso das pastas brancas com listras coloridas, o segredo está na forma em que ela é inserida no tubo. Os cremes de cada cor se encontram em divisórias separadas e de tamanhos diferentes dentro do aplicador, sendo a do creme branco maior que as dos coloridos. O tubo então é preenchido com todas as cores sendo injetadas ao mesmo tempo, começando pela base do tubo e terminando na região da tampa.

Outro fator importante para que tudo não vire uma mistureba lá dentro é a composição química diferente de cada creme. O creme branco é levemente diferente dos coloridos, e isso aliado ao estado e viscosidade da pasta e a falta de espaços vazios para homogeneização, garantem que uma cor não invada a outra.

Dessa forma, o tubo mesmo quando é dobrado e amassado (dentro de uma certa tolerância e bom senso) permite que as cores não se misturem lá dentro, graças à engenharia envolvida na sua fabricação.